BANNER 1




Um cão de guarda mestiço (Pit bull com Bull terrier), matou uma criança de 6 meses ao meio desta quarta-feira na Rua Romualdo Galvão, no bairro Boa Vista, em Mossoró. Os moradores do bairro ficaram revoltados e pediram o sacrifício do animal, sendo necessário o comandante do II Batalhão de Policia Militar, tenente coronel Alvibá Gomes, mobilizar dezenas de policiais, além de Bombeiros e policiais civis.

A criança de nome Allysia Ramille Filgueira Dantas, de 6 meses, residia com os pais na casa do lado de onde foi morta. Era filha do auxiliar de eletricista Aldair André Dantas com Joana Filgueira Neta. Ele estava trabalhando e ela em casa. A criança saiu de casa junto com uma prima, de 11 anos, e foi para a residência vizinha. Ao entrar num quarto, o cão estava lá. A menina de 11 anos se assustou, soltou a criança no chão e saiu correndo.

O animal, que atende pelo nome de Peralta (foto), avançou e mordeu na altura do pescoço, conforme informou o comandante Alvibá Gomes, que descreveu a cena do crime como horrível. Ele disse que havia sangue espalhando por várias partes do quarto. Ele observou ferimentos principalmente na altura do pescoço e cabeça da criança.

Os pais da criança chegaram logo em seguida e ficaram em estado de choque. A mãe Joana Filgueira foi levada para o Hospital, junto com outros parentes que também se sentiram mal. O pai chegou em seguida. Não chegou a ir ao local da ocorrência. Ficou sentado, em estado de choque na área de residência. Um familiar que falou com o Defato.com disse que o cão é muito grande e a criança se assustou. “É brabo”, diz a dona de casa.

A proprietária do animal, Maria Oliveira, por orientação do comandante Alvibá Gomes, chamou o veterinário Bruno Ricarte, para fazer uma análise inicial. Em contato com o Defato.com, Bruno disse que a raça Bull terrier é de guarda e, conforme os relatos que ele ouviu na casa, trata-se de um cão dócil, mas que reagiu para "defender o território dele". “Invadiram o território dele e infelizmente aconteceu esta tragédia”, destacou o veterinário.

A esta altura, a Policia Militar teve que fechar as ruas de acesso a residência, considerando o número elevado de curiosos querendo ver a cena e já ensaiando o grito mata, mata mata. O Corpo de Bombeiros, com ambulância, também foi chamado. O SAMU também esteve no local. “A nossa missão aqui é agora garantir a integridade da casa, dos familiares e proteger o local da ocorrência até a Polícia Civil assumir o controle da investigação”, diz o comandante.

Com o isolamento feito, o corpo da criança foi removido pelo Instituto Técnico-científico de Policia (ITEP) e o delegado Rafael Arraes, da II Delegacia de Policia da Nova Betania, já tomou os primeiros depoimentos. Ele disse que com relação ao animal, este deve ser levado para o Centro de Zoonose, onde vai passar por exames para descartar a possibilidade de raiva canina por um período de 40 dias e daí será definido o destino dele.
A informação sobre a raça do animal foi corrigida pelo próprio veterinário Bruno Ricarte. Segundo ele, numa análise mais apurada, encontrou traços de um animal mestiço: pit bulx com bull terrier. O cão foi sedade e levado para o Centro de Zoonose. A família da vítima continua em estado de choque.

*Cézar Alves/Da Redação De Fato.com


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem