segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Criminosos retiram passageiros e ateiam fogo em ônibus em Fortaleza

Crime ocorreu na noite de domingo no Bairro Serviluz.
Suspeita é que o crime tenha relação com a morte de mulheres no bairro.


Criminosos colocaram fogo em um ônibus na noite deste domingo (16), no Bairro Serviluz, em Fortaleza. De acordo com a Polícia Militar, nas proximidades do Cais do Porto , homens armados  mandaram os passageiros descer do ônibus e atearam fogo no veículo. Ninguém ficou ferido. Em seguida, os bandidos fugiram.
A suspeita, segundo a polícia, é que o crime tenha ligação com a morte de três mulheres no bairro. Nesta segunda-feira (17), as investigações continuam em busca de localizar e prender os criminosos. A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social investiga o caso.  A morte das três mulheres está sendo investigada pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Chacina no Serviluz
Três mulheres foram assassinadas na noite deste sábado (15) em uma chacina no Bairro Serviluz. De acordo com a Polícia Civil, a suspeita é de que os assassinatos foram motivados por uma disputa por territórios de tráfico de drogas na região.
Segundo relatos de testemunhas a policiais civis, as mulheres foram surpreendidas por vários homens armados, que chegaram em um veículo já atirando quando elas estavam em um bar, por volta das 21h30. Até a manhã de domingo (16), ninguém havia sido preso. 
Duas mulheres morreram no local. Maria Mikaela, a terceira vítima, chegou a ser atendida no Hospital Instituto Doutor José Frota, no Centro de Fortaleza, mas não resistiu aos ferimentos.
As mulheres foram identificadas como Cristiane da Silva Orlando, de 20 anos, assassinada com oito tiros; Thainan Rodrigues de Sousa, 22 anos, atingida com dois tiros; e Maria Mikaela Guedes Nogueira, também de 22 anos, morreu com dois tiros quando recebia atendimento em hospital.
Chacina da Nova Estiva
Ainda de acordo com policiais, a chacina ocorrida neste domingo é consequência da sequência de crimes que vitimou quatro pessoas em agosto de 2015, quando o chefe do tráfico na comunidade Nova Estiva foi assassinado. Desde então, segundo a Polícia Civil, há conflitos pelo "domínio" da área.
De acordo com testemunhas, os crimes ocorridos neste sábado têm semelhanças com o do ano passado.
Em 2015, de acordo com a Divisão de Homicídios, cinco homens chegaram em dois carros e uma moto e dispararam contra o grupo, que estava caminhando pela Rua Vicente de Castro, 198.
A polícia informou que uma das vítimas havia saído há pouco tempo do presídio e ainda que as mortes teriam sido motivadas pelo tráfico de drogas.
*G1


Nenhum comentário:

Postar um comentário