segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Incêndio em reserva de Mata Atlântica no RN é controlado, diz Bombeiros

Incêndio iniciado na sexta (7) atingiu a Mata do Pilão, no Leste potiguar.

Últimos focos foram apagados com ajuda do helicóptero Potiguar 01.


Incêndio atinge área de proteção ambiental no RN desde a sexta (7) (Foto: Rose Dantas/G1)Incêndio atinge área de proteção ambiental no RN desde a sexta (7) (Foto: Rose Dantas/G1)

O Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte confirmou no final da manhã desta segunda-feira (10) que foi controlado o incêndio da Mata do Pilão, inserida na reserva ambiental da Área de Proteção Ambiental Estadual (APA) Piquiri-Una. A APA é formada por mais de 40 mil hectares, abrangendo cinco municípios potiguares: Goianinha, Canguaretama, Espírito Santo, Pedro Velho e Várzea. O incêndio, segundo os Bombeiros, foi iniciado na sexta-feira (7).

De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros, Otto Saraiva, foram apagados os últimos focos durante a manhã desta segunda com ajuda do helicóptero Potiguar 01 e caberá à Polícia Civil investigar o que originou o incêndio.


Por determinação do governador Robinson Faria, foi instaurado um comitê de crise que monitorou e conduziu as ações para o controle do incêndio e as medidas relacionadas ao problema. Durante o fim de semana, órgãos do Governo foram mobilizados para conter as chamas o mais rápido possível. O comitê de crise foi formado pelo Gabinete Civil; Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesed), Defesa Civil; Secretaria Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh); o Governo contactou ainda a Marinha Brasileira, o Ibama, o projeto SOS Mata Atlântica e o ICMBio (órgão de conservação da biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente).

Em nome do comitê, o secretário estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Mairton França, informou que o Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema) formou uma equipe para a elaboração dos projetos de recuperação da área degrada. “Quando a equipe entrar em atividade teremos um diagnóstico mais completo sobre os impactos ambientais causados”, explicou reforçando que não há espécies endêmicas – aquelas que só existem em determinada região – na extensão de terra atingida pelo incêndio.

Incêndio atinge área de proteção ambiental no RN desde a sexta (7)   (Foto: Rose Dantas/G1)Incêndio atinge área de proteção ambiental no RN desde a sexta (7) (Foto: Rose Dantas/G1)

Do G1 RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário