segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Prisões por fraude marcaram 2º dia de provas do Enem



Polícia Federal realizou neste domingo (6) operações em pelo menos 8 estados para combater fraudes contra o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que acontece neste final de semana. Segundo a PF, 11 pessoas foram presas.

Candidatos pagavam entre R$ 150 mil a R$ 180 mil por um gabarito do Exame Nacional do Ensino Médio, descobriu a Polícia Federal na operação Embuste, realizada em Minas Gerais, Bahia e Ceará. A tecnologia usada pelo grupo criminoso responsável pela fraude possibilitava que o resultado chegasse a qualquer lugar do país e permitia ainda a comunicação entre quem repassava as respostas e quem as recebia. 



Em Fortaleza, a Polícia Federal prendeu em flagrante um candidato que estava com um equipamento eletrônico preso ao corpo com pontos de escuta nos ouvidos, durante realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste domingo (6). O homem, de 34 anos, disse, que trabalha como secretário de saúde de um município cearense. 

Uma das operações foi conduzida pela Polícia Federal em Montes Claros (MG) e teve como alvo uma organização criminosa suspeita de fraudar processos seletivos para universidades e que teria também agido no Enem. A outra foi realizada em estados do Norte e Nordeste e investiga 22 pessoas também suspeitas de fraudar o exame. De acordo com a PF, a organização criminosa utilizava uma central de telefonia celular para repassar gabaritos de provas para candidatos. O principal alvo eram cursos de medicina. 


*G1


Nenhum comentário:

Postar um comentário