sábado, 7 de janeiro de 2017

Temer vai à casa de Cármen Lúcia, em Brasília, para discutir a crise nos presídios

Os presidente da República e do STF acertaram reunião em uma conversa telefônica na véspera; segundo assessores, eles devem tratar de ações conjuntas para conter o caos nas prisões.


O presidente Michel Temer foi na manhã deste sábado (7) à casa da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, para tratar reservadamente com a magistrada sobre a crise penitenciária. O encontro não estava previsto na agenda oficial do peemedebista.


Temer deixou o Palácio do Jaburu – residência oficial da Vice-Presidência – por volta das 10h em direção à residência da presidente da Suprema Corte, localizada no Lago Sul, bairro nobre da capital federal.


Para não chamar a atenção, ele não usou os tradicionais carros oficiais pretos da Presidência, e sim um carro sem identificação oficial prata. Um veículo preto da equipe de seguranças do Planalto acompanhou o deslocamento do chefe do Executivo.


De acordo com assessores, Temer e Cármen Lúcia conversaram por telefone nesta sexta-feira (6), após a divulgação da matança na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo – que deixou 31 mortos no maior presídio de Roraima –, para discutir a situação dos presídios.


No início da semana, entre domingo (1º) e segunda (2), 56 presos haviam sido mortos em uma rebelião no Complexo Penitenciário Anísio Jobim, em Manaus.


No diálogo telefônico desta sexta, informou um interlocutor de Temer, os presidentes da República e do Supremo teriam combinado de se encontrar pessoalmente neste fim de semana para aprofundar a discussão sobre o caos nas prisões.


Na conversa prévia, ficou acertado que eles voltariam a se falar por telefone neste sábado para definir a data da reunião.


Na reunião, além de tratar da repercussão dos massacres registrados nesta semana em Manaus e Boa Vista, os chefes do Executivo e do Judiciário irão negociar possíveis ações conjuntas entre os dois Poderes para conter a crise nos presídios e evitar que as rebeliões que ocorreram na Região Norte se espalhem para outras penitenciárias do país, informaram assessores.


*G1


Cármen Lúcia e Temer devem tratar na conversa de ações conjuntas entre os Poderes Executivo e Judiciário para combater a crise nos presídios (Foto: Beto Barata / Presidência)

Nenhum comentário:

Postar um comentário