terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Moraes promete se declarar impedido de julgar tucanos

Se Alexandre de Moraes conseguir a aprovação do Senado e chegar ao Supremo, ele assumirá a função de ministro revisor da Operação Lava Jato. O posto cabe ao primeiro magistrado que toma posse após o relator, no caso, Edson Fachin, o novato do STF até então.
Moraes é filiado ao PSDB e lidadíssimo a Geraldo Alckmin. Como ele vai proceder quando chegarem-lhe as mãos inquéritos abertos para investigar os figurões do tucanato? Consciente de que estava no páreo, Moares passou a semana passada respondendo a questão para os interlocutores de sua confiança.
Ele disse que vai se declarar impedido nos casos que envolvam figuras como José Serra, Aécio Neves e, claro, Alckmin, todos citados na Lava Jato.
Nessas conversas, o escolhido por Michel Temer ainda contou que esconderá essa informação o quanto puder, nas palavras do ministro, “para não atrapalhar” sua indicação.
Os próximos capítulos vão revelar se, uma vez sentado na cadeira do STF, ele cumprirá o que disse ou vai ignorar o passado recente e julgar seus aliados com isenção.

VEJA – Gabriel Mascarenhas

Nenhum comentário:

Postar um comentário