quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Muro de concreto para dividir facções começa a ser erguido em Alcaçuz

BOPE patrulha área externa da Penitenciária de Alcaçuz (Foto: Divulgação/PM)

Um muro de concreto está sendo erguido na Penitenciária Estadual de Alcaçuz. A estrutura servirá para separar as duas facções criminosas que disputam o poder dentro da unidade. Alcaçuz fica em Nísia Floresta, cidade da Grande Natal. Foi lá que pelo menos 26 detentos foram mortos durante uma rebelião inciada no dia 14 de janeiro. Segundo o governo, a construção do muro permanente levará 15 dias.

De acordo com o governo do estado, o muro irá separar os pavilhões 1, 2 e 3 (ocupados por membros do Sindicato do RN) dos pavilhões 4 e 5 (dominados pelo PCC). O muro substitui um 'paredão' feito de contêineres, cada um com 12 metros.  O muro de concreto terá 90 metros de extensão.
A rivalidade entre facções dentro do presídio de Alcaçuz custará ao Governo do Estado R$ 794.028,00.
O Governo informou, por meio das redes sociais, que o valor será aplicado na colocação de contêineres, construção do muro de concreto e concretagem do perímetro externo de Alcaçuz. "O isolamento emergencial e temporário dos apenados com contêneires custará R$ 166 mil, incluindo aluguel dos contentores e das máquinas. A concretagem do perímetro externo da Penitenciária de Alcaçuz terá um investimento de R$ 360 mil. O muro com blocos modulares de concreto para separação dos pavilhões terá o custo de R$ 234,8 mil".
A Polícia Militar está na penitenciária para garantir a segurança dos trabalhadores contratados para construir o muro. De acordo com o major Eduardo Franco, que conversou com o G1, até agora "tudo está calmo" em Alcaçuz.
*G1 RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário