quinta-feira, 2 de março de 2017

Ambulantes relatam boas vendas no Carnaval de Apodi e atribuem sucesso ao novo percurso do arrastão


Vendedores ambulantes de comidas e bebidas, que trabalharam no Carnaval de Apodi 2017, registraram boas vendas durante os cinco dias de evento. Eles atribuíram o sucesso ao novo percurso do arrastão, que passou ao lado da praça de alimentação, na avenida Marechal Floriano Peixoto.

A comerciante Daniele Cristina, de Caraúbas, disse que estava muito feliz com os resultados no seu primeiro carnaval em Apodi. “Começamos o ano com o pé direito”, destacou.


Francely Maria, de 46 anos, veio de Souza, na Paraíba, para vender espetinhos, batata frita e bebidas. Ela nos contou que vendeu muito mais do que no carnaval do ano passado. “Só foi fraco no sábado, mas do domingo em diante foi muito bom. Eu vendi no ano passado, mas esse ano tá melhor”, disse ela.

O vendedor Jandilson Soares, de Umarizal, atribuiu o sucesso nas vendas ao novo percurso do arrastão. “Quando o arrastão descia de lá pra cá, o pessoal já vinha comprando à gente. Diferente dos outros anos, que o movimento era lá do outro lado e a gente ficava isolados aqui”, afirmou.

Jandilson sempre trabalha no carnaval de Apodi. Neste ano, ele trouxe a esposa Lindalva de Lima para ajudá-lo. “Acho que a gente só não vendeu mais por causa da crise, mas mesmo assim, está melhor do que no ano passado”, acrescentou ela.

Movimento intenso também foi registrado na barraca do comerciante Edson Martins, de Apodi. No seu primeiro carnaval com barracas no Calçadão da Lagoa, ele destacou a alta procura por comida, principalmente.

“Desde o sábado que eu vendi muito. Posso dizer que foi lotação total aqui”, disse.

Além do Calçadão, Edson também possui uma lanchonete às margens da BR-405, onde também registrou boas vendas.

De acordo com o secretário de Turismo, Gilney de Morais, a grande quantidade de foliões que passou por Apodi durante o carnaval foi fundamental para garantir esse sucesso dos vendedores. Ao todo, estima-se que a cidade recebeu 80 mil pessoas nos cinco dias de festa.

“Imagine que somente metade desse público tenha lanchado na praça de alimentação do Calçadão. São nada mais, nada menos do que 40 mil lanches vendidos. O nosso planejamento para atrair foliões pra cá influenciou demais no sucesso dos vendedores”, concluiu o secretário.


Nenhum comentário:

Postar um comentário