quarta-feira, 29 de março de 2017

Prefeitura intensifica ações de combate aos focos do mosquito Aedys Aegypt


O período chuvoso trouxe a Mossoró um número elevado do Índice de Infestação Atualizado (LIRAa). O último levantamento apontou que a média do município é de 7,0, quando o número aceitável pelo Ministério da Saúde é de 1%, por isso, as ações da Vigilância à Saúde, através do Centro de Controle de Zoonoses, tem se intensificado, no sentido de combater os focos do mosquito.


O levantamento foi realizado pelos agentes de endemia durante o mês de março, buscando focos do Aedys Aegypt em todos os bairros da cidade. “As equipes da Vigilância estão nas ruas, intensificando o trabalho. Tivemos números reduzidos em relação à dengue e às arboviroses no início do ano, mas não podemos descansar. A preocupação é que o vetor se espalhe cheguemos a altos números de diagnósticos das arboviroses, que pode levar à morte”, alertou Iranilde Campos, coordenadora da Vigilância à Saúde.

A veterinária Edinaide Moura destaca que, além das equipes, o cuidado de cada um em suas casas é muito importante. “Equipes estão trabalhando, mobilizações estão acontecendo, mas é necessário que a população colabore, que abram suas casas para os agentes de endemias, que vigiem nos seus quintais”, disse.

De acordo com o levantamento, os bairros com maiores índices são Bom Jesus, com 21,9%, Dix-sept Rosado (Forno Velho), com 21,8% e Ilha de Santa Luzia, com 20,0%. “Casas fechadas, piscinas abandonadas, lixo, tudo isso pode ser reservatório. O ovo do mosquito pode ficar na parede do reservatório por até um ano, por isso temos que ficar atentos”, explicou Allany Medeiros.

As ações nos bairros foram iniciadas desde fevereiro deste ano, com rodadas de conversas em diversos pontos dos bairros, ações em escolas, Unidades de Saúde e equipamentos sociais do município.


Nenhum comentário:

Postar um comentário