terça-feira, 4 de abril de 2017

Secretaria de Educação realiza workshop sobre o autismo


A Prefeitura de Mossoró realizou nesta segunda-feira (3), no auditório da Estação das Artes Elizeu Ventania, um workshop voltado para professores e estagiários da rede municipal que atuam com crianças autistas. O evento foi dividido em cinco momentos: apresentação do kit educador, história do autismo, palestra, relato de experiência de uma professora e estagiária e avaliação do ensino em Mossoró.


Selma Bedaque, coordenadora da Educação Especial do Município, explicou que todos os professores recebem o Atendimento Educacional de Especiação (AEE), que são salas de acesso aos recursos multifuncionais. Atualmente, Mossoró conta com 94 crianças autistas, sendo 31 na educação infantil e 63 no fundamental. Além do atendimento especializado, a criança autista tem a matrícula garantida na rede pública. No workshop foi apresentado um pouco do trabalho realizado pelas professoras.

A Secretária de Educação, Magali Delfino, esteve presente e afirmou em seu discurso estar muito feliz com a presença dos educadores e destacou a importância da preocupação do município em ajudar as crianças e as famílias. "A equipe do município está sempre bem representada e de braços abertos para os professores, alunos e famílias", disse.

Na palestra da doutora Francisca Cabral foi apresentada a tese do seu doutorado, intitulada: "A mediação nas práticas pedagógicas de professoras e crianças com transtorno do espectro autista". A professora disse estar feliz e grata pelo motivo do encontro e ressaltou que no começo a questão do autismo passava por muitas dificuldades, devido o desconhecimento da população sobre o tema. "O dia de conscientização ao autismo deve ser todos os dias. Antes o professor não estava preparado porque era algo novo. Hoje é diferente. O nosso desafio é o de integrar e revisar as mesmas atividades corriqueiras e práticas", falou.

RELATO

Daniele Sousa, professora da Escola Municipal Monsenhor Mota, deu o seu relato de como é o dia a dia na sala de aula. "É preciso algumas adaptações, mas o aluno consegue desempenhar as atividades normalmente", comentou.

A auxiliar de Daniele, estagiária Joana D'arc, disse que o papel da auxiliar é o de mediar o processo de aprendizagem do aluno. "Nós trabalhos em conjunto, mas o objetivo da auxiliar é o de mediar o aprendizado. Temos o apoio pedagógico necessário e tecnologias assistidas, além de recursos digitais, como notebook e celular". Na escola Monsenhor Mota, Daniele e Joana são professoras de um aluno autista. Joana afirmou ainda que o aluno não sofre nenhuma exclusão por parte dos alunos.  "Ele foi bem incluído pelas crianças e também por toda a escola. É sempre importante esse trabalho dos professores com os auxiliares", finalizou. Todos os estagiários são da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) e remunerados pelo município. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário