sexta-feira, 26 de maio de 2017

Câmara lança Frente Parlamentar e Popular de Segurança Pública


A Câmara Municipal de Mossoró realizou a primeira reunião da Frente Parlamentar e Popular de Segurança Pública, na manhã desta sexta (26). O momento marcou o lançamento da Frente, que tem como objetivo procurar soluções a médio e longo prazo para a questão da insegurança que atinge Mossoró.

A iniciativa da reunião foi do vereador Petras (DEM). “Nós entendemos que a segurança é responsabilidade de todos. Então, a ideia de criar a frente é que possamos somar, dar sugestões, contribuir com alternativas. Não queremos tirar a responsabilidade do Estado, mas queremos construir juntos. A segurança não é só polícia na rua, é iluminação, saúde, educação de qualidade.”, explicou o parlamentar.

Durante o evento, autoridades, representantes da sociedade civil organizada  e os parlamentares discutiram alternativas para combater a violência com ações preventivas. O secretário municipal de segurança, Eliéser Girão, destacou que é importante buscar as causas da violência. “A violência que vivenciamos hoje é consequência da falta de políticas públicas preventivas.”, completou.


Projetos para serem implantados em escolas, como o Cidadania na Escola e o Câmara Mirim, foram destacados como boas iniciativas para o trabalho de prevenção. Para o Juiz de Direito Herval Sampaio, realizar projetos nas escolas é essencial para diminuir o número de jovens que entram no mundo do crime. José William, que representou a OAB/Mossoró, também destacou a necessidade de políticas públicas voltadas aos jovens. “É importante que seja feito um trabalho, principalmente nas escolas, na educação a médio e longo prazo, para que se ocupe a cabeça desses jovens e mostre que o melhor caminho é do estudo. A violência, infelizmente, está acabando com nosso país.”, finalizou.

As reuniões da Frente Parlamentar e Popular de Segurança Pública acontecerão periodicamente, sempre buscando mais projetos, soluções e diálogo entre as polícias, o poder judiciário, o poder executivo, a Câmara Municipal e a sociedade civil.


Nenhum comentário:

Postar um comentário