segunda-feira, 29 de maio de 2017

Chuvas deixam unidades de ensino sem aulas em PE; estado contabiliza 30 mil desalojados e desabrigados



Um dos municípios mais atingidos, Ribeirão transformou suas escolas em pontos de abrigo para os desabrigados. Chuvas que ocorreram no último fim de semana de maio no estado deixaram dois mortos e duas pessoas seguem desaparecidas.


Além de deixar 30 mil desabrigados e desalojados, dois mortos e duas pessoas desaparecidas em Pernambuco, as fortes chuvas que caíram no Agreste e na Zona da Mata Sul mudaram também a rotina das unidades de ensino. Nesta segunda (29), há duas unidades do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) e uma da Universidade de Pernambuco (UPE) sem aulas. Ipojuca, no Grande Recife, também não abriu as portas das suas escolas. Um dos municípios mais atingidos pelas águas, Ribeirão transformou suas escolas em pontos de abrigo para os desabrigados.

De acordo com a assessoria de imprensa do IFPE, as unidades localizadas em Barreiros e Palmares, ambos na Zona da Mata Sul do estado, estão fechadas nesta segunda. À tarde, o instituto avaliará se estende a decisão para a terça-feira (30). Ao todo, 1.260 estudantes deixam de ter aula, nesta segunda-feira, no Campus Barreiros. Do total de alunos matriculados na unidade, cerca de 600 também tiveram que deixar as casas onde moram por causa das inundações.
Já as aulas na unidade da UPE em Palmares não têm previsão para serem retomadas. Segundo a assessoria de imprensa, o estrago no município impede que se vislumbre uma reabertura.
Ipojuca decidiu pelo não funcionamento das suas escolas. No município, os desabrigados ocupam quadras das unidades de ensino. Em Ribeirão, também na Mata Sul, as escolas foram transformadas em pontos de abrigos. Ao todo, há 112 famílias abrigadas nas cinco unidades de ensino do município.
Chuva provoca destruição e a morte de três pessoas no interior de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário