quinta-feira, 4 de maio de 2017

PF prende 2 ex-gerentes da Petrobras na 40ª fase da Lava Jato e investiga propina de R$ 100 milhões

Polícia Federal (PF) cumpre a 40ª fase da Operação Lava Jato, na manhã desta quinta-feira (4), em cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. A operação foi batizada de "Asfixia" e tem como foco, segundo o Ministério Público Federal (MPF), três ex-gerentes da Petrobras suspeitos de terem recebido mais de R$ 100 milhões em propinas de empreiteiras contratadas pela estatal.

Segundo a PF, foram cumpridos dois mandados de prisão preventiva e dois de prisão temporária no Rio.

Quem são os presos, conforme o MPF:


Marcio de Almeida Ferreira, um dos ex-gerentes da Petrobras;

Marivaldo do Rozário Escalfoni; representante das empresas;

Paulo Roberto Gomes Fernandes; representante das empresas;

Maurício de Oliveira Guedes; ex-gerente da Petrobras.

Inicialmente, a PF havia dito que uma mulher identificada apenas como Joelma havia sido presa. Mais tarde, a PF corrigiu a informação e disse que o quarto preso é Maurício de Oliveira Guedes.

O G1 tenta contato com os advogados dos suspeitos.

Os alvos são investigados pela prática dos crimes de corrupção, fraude em licitações, evasão de divisas, lavagem de dinheiro, entre outros.

Além do Rio, cinco mandados de condução coercitiva, que é quando a pessoa é levada para prestar depoimento, e 16 de busca e apreensão ainda estão em andamento em Niterói, Duque de Caxias, Belo Horizonte e São Paulo.

A prisão temporária tem prazo de cinco dias e pode ser prorrogada pelo mesmo período ou convertida para preventiva, que é quando não há prazo determinado para deixar a prisão. Os detidos serão levados para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba quando autorizados pelo juízo competente.

*G1


Nenhum comentário:

Postar um comentário