sexta-feira, 23 de junho de 2017

Catalogada há três meses, nova droga é apreendida pela primeira vez no RN

Perícia identificou droga apreendida pela primeira vez no RN (Foto: Divulgação/ Itep)

Instituto Técnico-Científico de Perícia do Rio Grande do Norte (Itep) identificou uma nova droga no estado. A N-etilpentilona, substância sintética que foi incluída recentemente na lista da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), foi apreendida pela primeira vez na Grande Natal no final do mês passado.

A polícia só conseguiu identificar a droga após perícia técnica, realizada no laboratório Instrumental Forense do Itep. Foram usados procedimentos que permitem separação e análise da mistura.


De acordo com os investigadores, a cor e o estado físico da droga pode fazê-la ser confundida com o crack. A N-etilpentilona é comercializada no país há cerca de dois anos, informou o órgão.

Instituto Técnico-Científico de Perícia do Rio Grande do Norte (Itep) identificou uma nova droga no estado. A N-etilpentilona, substância sintética que foi incluída recentemente na lista da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), foi apreendida pela primeira vez na Grande Natal no final do mês passado.

A polícia só conseguiu identificar a droga após perícia técnica, realizada no laboratório Instrumental Forense do Itep. Foram usados procedimentos que permitem separação e análise da mistura.

De acordo com os investigadores, a cor e o estado físico da droga pode fazê-la ser confundida com o crack. A N-etilpentilona é comercializada no país há cerca de dois anos, informou o órgão.

Indiciados por tráfico e associação ao tráfico de drogas, os três suspeitos presos foram encaminhados ao sistema prisional do Estado e se encontram à disposição da Justiça. As investigações continuam.

A N-etilpentilona faz parte de uma lista de drogas catalogadas pela Anvisa em março deste ano, e agora proibidas no Brasil. Trata-se de um psicotrópico sintético, usado de forma recreativa. É estimulante, se assemelhando ao MDMA, conhecido como ecstasy, ou à cocaína e tem efeitos graves à saúde, de acordo com as autoridades brasileiras.

*G1 RN


Nenhum comentário:

Postar um comentário