sexta-feira, 7 de julho de 2017

Advogado, presidente do Sindicato dos Artistas do RN é condenado a 7 anos por tráfico internacional de pessoa

Notícia foi divulgada nesta sexta-feira (7) pela Justiça Federal no RN. Segundo a denúncia, acusado agenciava mulheres que eram levadas para a Itália.

O advogado Pedro Paulo de Andrade Netto, de 57 anos, e que preside o Sindicato dos Artistas do Rio Grande do Norte (SATED), foi condenado a 7 anos e 2 meses de prisão por tráfico internacional de pessoa. Segundo a Justiça Federal no RN, a denúncia recai sobre o fato de que o acusado agenciava mulheres que eram levadas para a Itália.
O julgamento aconteceu na quarta (5), mas a assessoria de comunicação da Justiça Federal no RN só divulgou a sentença nesta sexta (7).
G1 procurou a Ordem dos Advogados do Brasil e solicitou um posicionamento sobre o caso, mas ainda não teve retorno. O advogado também foi procurado, mas não atendeu às ligações.
“A prova da materialidade do crime de tráfico internacional de pessoa para fins de exploração sexual está consubstanciada nos depoimentos prestados pelas vítimas e documentos acostados nos autos, nos quais se destacam os laudos periciais, relatórios de inteligência, relatórios de busca e apreensão, incidentes de interceptação telefônicas e sigilo de dados”, escreveu o juiz federal Walter Nunes da Silva Júnior, titular da 2ª Vara Federal no Rio Grande do Norte, ao proferir a sentença.
O magistrado chamou atenção que esse tipo de crime é um atentado contra própria dignidade da pessoa humana. “Tendo em vista o perfil das vítimas desse delito, bem assim o lucro que vem o comércio de pessoas traficadas proporcionando a seus agentes, pode-se mesmo afirmar que o crime em comento não atenta somente contra os bons costumes, mas também e em especial contra os princípios da valorização e da dignidade da pessoa humana”, observou.
Segundo a denúncia, Pedro Paulo era o responsável por toda a logística prévia ao embarque, contato com os contratantes italianos, repasse de dinheiro para aquisição de passaporte e custeio das documentações necessárias.
*G1 RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário