quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Secretário nacional de Segurança Pública participará de reunião em Natal

Liderança do PMDB almoça com ministro da Justiça para discutir segurança pública.

Participam:
ministro da Justiça Torquato Lorena Jardim;
senador Raimundo Lira (PMDB-PB);
senadora Simone Tebet (PMDB-MS);
senador Dário Berger (PMDB-SC);
senador Elmano Férrer (PMDB-PI); 
senador Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN); 
senador José Maranhão (PMDB-PB);
senador João Alberto Souza (PMDB-MA);
senador Valdir Raupp (PMDB-RO);
senador Airton Sandoval (PMDB-SP);
senadora Marta Suplicy (PMDB-SP).

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

O secretário nacional de Segurança Pública, general Carlos Alberto Cruz, deverá reunir-se com autoridades do governo do Rio Grande do Norte da área de segurança, em Natal, no dia 4 de setembro, uma segunda-feira. A pauta da conversa será a violência que tomou conta de diversas cidades do estado, principalmente os municípios localizados na região metropolitana de Natal.

O anúncio da viagem do general foi feito durante reunião realizada nesta quarta-feira (23) entre o ministro da Justiça, Torquato Jardim, o general Carlos Cruz e a bancada de senadores do PMDB. O ministro disse aos parlamentares que só há uma solução para a questão da segurança pública no Brasil, e ela passa por União, estados e municípios firmarem um pacto nacional integrando suas forças policiais para combater o tráfico de drogas e armas nas fronteiras.
Segundo o senador Garibaldi Filho, um dos participantes da reunião realizada na Liderança do PMDB no Senado, o ministro também falou sobre a necessidade de ampliar o contingente da Força de Segurança Nacional, que hoje conta com 2.600 homens. Na avaliação de Torquato Jardim, este número deveria ser multiplicado por 10 para atender às demandas dos estados.
Com relação ao Plano Nacional de Segurança (PNS) – lançado no Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Sergipe no início do ano – Garibaldi Filho disse que o ministro responsabilizou a falta de recursos para que a maioria das ações previstas não tenham sido implementada. O PNS prevê a redução no número de homicídios e da violência contra a mulher, o combate ao crime organizado e a racionalização e modernização do sistema penitenciário.
“Entre as ações previstas no Plano para o Rio Grande do Norte, só se materializou o envio de 144 homens da Força Nacional de Segurança Pública. Do total, 120 estão atuando no patrulhamento ostensivo e 24 assessorando aos trabalhos do Itep e de algumas delegacias. Os resultados, até o momento, não estão sendo os que a população potiguar espera”, lamentou Garibaldi Filho.
O senador comentou que a situação no RN está tão crítica que na semana passada a bancada federal se reuniu com o presidente da República para clamar por ajuda. “São mais de 1.500 pessoas assassinadas em menos de oito meses, no Rio Grande do Norte. É um número chocante. A título de comparação, este ano, em toda a Europa, o número de vítimas fatais de ataques terroristas foi de 98. Só que lá eles adotaram medidas severas para combater os ataques”, comparou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário