quinta-feira, 14 de setembro de 2017

BNDES vai trocar membros do conselho da JBS e quer influenciar em escolha de nova diretoria



O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro, disse nesta quinta-feira (14) que vai trocar os dois membros do Conselho de Administração da JBS indicados pelo banco e tentar influenciar na escolha de uma nova diretoria financeira da empresa, da qual é acionista.

"Vamos alterar os dois nomes que são nossos, queremos sim influir nos outros dois nomes que constituem os chamados conselheiros independentes, que eventualmente podem ser trocados, e eventualmente queremos influir, indiretamente, na escolha principalmente da diretoria da empresa", declarou Rabello.


O BNDES é o segundo maior acionista da JBS, com uma fatia de 21% no capital da empresa por meio da BNDESPAr, sua divisão de investimento em participações em empresas.

O banco pode indicar 2 membros para o conselho de administração da JBS. Atualmente, a representante do banco é a advogada Claudia de Azeredo Santos. A outra vaga está aberta desde a saída do advogado Maurício Luchetti na semana passada.
Paulo Rabello de Castro, presidente do BNDES, em entrevista a jornalistas (Foto: Daniel Silveira/G1)Paulo Rabello de Castro, presidente do BNDES, em entrevista a jornalistas (Foto: Daniel Silveira/G1)Paulo Rabello de Castro, presidente do BNDES, em entrevista a jornalistas (Foto: Daniel Silveira/G1)
Na quarta-feira (13), o BNDES defendeu em comunicado a abertura de um processo seletivo para a escolha de um novo presidente "em caráter definitivo" para a JBS. "Qualquer que seja o desenrolar destes fatos, contribuiria para o melhor interesse da companhia, e para a sua preservação e sustentação, o início de uma renovação de seus quadros estatutários", disse o banco estatal.

*G1

Paulo Rabello de Castro, já havia afirmado em sua conta no Twitter que "chegou a hora" da instituição resgatar seus investimentos na JBS.


 Follow

Paulo Rabello 
@PRabello
Chegou a hora de o Bndes resgatar os investimentos de todos nós brasileiros na JBS
Twitter Ads info and privacy
Wesley Batista, diretor presidente da JBS e dono da J&F junto com o irmão Joesley, foi preso na investigação sobre uso de informações privilegiadas para lucrar no mercado financeiro em meio ao acordo de colaboração premiada firmado entre executivos da J&F e a Procuradoria Geral da República (PGR).
Sem comentar a respeita da prisão nesta quinta-feira, Paulo Rabello fez questão de destacar que desde junho o BNDES já defendia a mudança na governança da maior processadora de carnes do mundo.
"O banco até orgulhosamente pode dizer 'antevíamos isso há quatro meses atrás'. Se a alta direção da empresa não tomou nenhuma providência que foi decidida pelo conselho, isso só demonstra inequivocamente que precisamos melhorar a governança nessa empresa", declarou o presidente do BNDES.
Segundo Paulo Rebello, o conselho de administração da JBS já havia decidido, desde julho, contratar uma empresa que faria um processo seletivo para escolha da nova diretoria, mas tal medida foi postergada até Wesley ser preso.
"Estamos acéfalos por um motivo que não tem nada a ver com questões econômicas, e sim com questões judiciais", disse Rebello sobre a falta momentânea de uma diretoria executiva da empresa.
Rebello ressaltou que o interesse defendido pelo BNDESPar desde junho é "estabelecer uma governança que fosse profissionalmente estabelecida". Para ele, uma mudança na governança da JBS é crucial para defender os interesses do país.
"É o povo brasileiro que esta investindo nessa empresa, além de todo o setor agropecuário brasileiro, que depende da demanda que é feita normalmente por esta empresa. É uma empresa, por assim dizer, de todos nós brasileiros", enfatizou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário