quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Luta em defesa do sal mobiliza classe política, empresarial e população potiguar


O debate idealizado pela vereadora Clorisa Linhares (PSDC) em torno da indústria salineira mobilizou, na manhã desta terça, 5, na Câmara Municipal de Grossos, representantes da classe política potiguar, assim como empresários do setor, população e estudiosos sobre o tema.


O evento, que contou com a presença de mais de 150 pessoas, reuniu nomes como os dos deputados Souza Neto, Larissa Rosado e vereadores dos municípios de Mossoró, Grossos, Tibau, bem como o ex-senador Tasso Rosado.

“Consideramos a discussão como muito produtiva. A pluralidade de ideias e propostas aqui apresentadas demonstra o quanto a audiência pública se mostrou acertada e importante para um setor que hoje é responsável pela manutenção de 15 mil empregos diretos e 65 mil empregos indiretos em nosso estado”, resumiu a vereadora Clorisa.

Em sua explanação, a parlamentar pontuou aspectos históricos, econômicos e sociais sobre o sal, lembrando que a as primeiras salinas instaladas em Mossoró, Areia Branca, Assú e Macau, datam de 1802, época da colonização. Citou ainda que atualmente a produção de sal no RN representa 94,01% da produção de todo o Brasil, com uma média de 8 milhões de toneladas produzidas anualmente.

“Para se ter uma ideia, o Rio de Janeiro, que está logo atrás do RN, produz apenas 206 mil toneladas anualmente. Mexer no sal é mexer na história de cada um de nós. Esse é o maior tesouro da nossa região. Grossos, por exemplo, sobrevive dessa atividade secular. Não posso me calar diante dessa possibilidade de recuo das áreas ocupadas pelas salinas, como propõe o Ministério Público Federal”, destacou Clorisa.

A propositora da audiência sugeriu que, ao invés do recuo das salinas, haja uma compensação ambiental em outras áreas. “Por que não a construção de um Parque Ambiental, em um outro espaço? Há outras alternativas, que precisam ser debatidas. Essas áreas que estão ocupadas já estão salinizadas, não servirão para replantio, por exemplo. Meio ambiente e sociedade podem sim conviver de maneira harmoniosa”, defendeu a parlamentar.


Pluralidade

A audiência foi marcada pela presença maciça de empresários do ramo salineiro, mas também de estudiosos sobre o tema, como o professor Rogério Taygra, da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa). Doutorando na área de conservação do semi-árido, o docente é autor de livros em que aborda tanto a problemática da preservação dos mangues quanto da biodiversidade das salinas.

“Existe um dispositivo legal. Isso é fato. Mas as leis são criadas de forma geral, é preciso analisar as especificidades de cada região. O sal é nossa identidade. O recuo pode levar salinas à falência, inviabilizar o seu funcionamento por dois, três anos. Devemos questionar os impactos que isso causaria para a população”, afirmou o professor.

O também doutorando David Medeiros, da Universidade Federal do Ceará, complementou o pensamento do professor Rogério Taygra. “O código florestal é de 1965, as salinas aqui instaladas são seculares. A atividade salineira também tem a sua importância no que diz respeito aos aspectos ambientais. Precisamos levar esse conhecimento à população”.


Classe política unida

Ao articular o debate, a vereadora Clorisa Linhares sempre reforçou a necessidade da união política em torno do tema. Como resultado, o que se viu na audiência foi a participação efetiva de representantes da classe, como, por exemplo, a deputada estadual Larissa Rosado, o deputado estadual Souza Neto, vereadores de Grossos, Tibau e de Mossoró, como Sandra Rosado, Aline Couto e Ozaniel Mesquita, além de ex-vereadores.

O ex-senador Tasso Rosado e os empresários e ex-candidatos a prefeito e vice-prefeito de Mossoró, Tião Couto e Jorge do Rosário, também estiverem presentes. “Saio daqui revigorado. Com o coração mais forte e o desejo de continuar lutando. Jamais desistirei dessa atividade”, pontou Tasso Rosado.

O vereador e vice-presidente da Câmara de Grossos, Bruno Gomes, elogiou a iniciativa da vereadora Clorisa Linhares em promover o debate. “Estamos felizes e orgulhosos de trabalharmos ao lado de uma vereadora que está fazendo história em nossa cidade. A indústria do sal movimenta ainda outras cadeias produtivas, não podemos deixar que esses empregos desapareçam”, disse.

Sandra Rosado, no evento representando a prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini, também parabenizou Clorisa pela audiência. “Nós, mulheres, estamos assumindo uma posição de protagonismo na vida das nossas cidades. Minha vida política sempre esteve entrelaçada ao sal, sempre coloquei meus mandatos à disposição dessa luta”, afirmou.


Encaminhamentos

Ao final da audiência, ficaram definidos os seguintes encaminhamentos e sugestões em relação ao tema discutido:

- Formação de um Grupo de Trabalho que debata com profundidade os impactos socioeconômicos do Termo de Ajustamento de Conduta apresentado pelo MPF e ainda alternativas ambientais à compensação das áreas ocupadas hoje pelas salinas;

- Criação de um Grupo de Estudos com representantes das universidades para se discutir as questões ambientais relativas às salinas;

- Convocação da bancada federal potiguar para também ingressar no debate e viabilizar audiência com o presidente da República, Michel Temer;

- Apresentação de Projetos de Lei municipais, estadual e federal que reforcem a importância da atividade salineira ser transformada em atividade de interesse social;

- Apresentação de liminar para suspender o TAC proposto pelo Ministério Público Federal.


Presenças

Estiverem presentes no evento o presidente estadual do PSDC e o presidente do PSDC em Mossoró, Joanilson de Paula Rêgo e Josué Moreira; presidente do Sindicato da Indústria de Moagem e Refino do Rio Grande do Norte (SIMORSAL), Renato Fernandes; presidente e vice-presidente do Sindicato dos Extratores de Sal do RN (SIESAL), Francisco Ferreira de Souto e Herbert de Souza Vieira Júnior; secretário-geral da Prefeitura de Grossos, João Dehon; presidente da Redepetro/RN, Gutemberg Dias, e ainda representantes de empresas como Norsal, Salinor, Ciasal, Socel, Cimsal, Salineira São Camilo, Sal Aliança, Adrisal, entre outras.


Nenhum comentário:

Postar um comentário