GOVERNO RN

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Em busca de recursos, Robinson vai ao Planalto reunir-se com Temer nesta quarta feira 22

Resultado de imagem para governo do estado do rn robinson

O governador Robinson Faria (PSD) seguiu na tarde desta terça feira 21 para capital federal (Brasilia-DF), onde irá participar de reunião com o presidente Michel Termer (PMDB) prevista para ocorrer as 11:00 horas desta quarta feira 22.

Atende convite do próprio Presidente da República que quer discutir com todos os governadores de Estados do Brasil possível apoio á reforma previdenciária que tramita no congresso nacional, no sentido de sensibilizar as respectivas bancadas  federais (deputados e senadores).



Ao embarcar no aeroporto internacional Aluizio Alves em São Gonçalo RN Robinson  falou por telefone ao blog do PC sobre suas expectativas quanto ao ensejo da pauta da reunião poder incluir o pedido de liberação com urgência, (urgentíssima) do pedido de empréstimo junto a Caixa Econômica Federal.

"Vamos pedir ao presidente da república que se dê a máxima urgência na liberação do pedido de empréstimo junto a Caixa feito pelo nosso governo, o qual já teve cumpridas todas as exigências feitas pela instituição  de credito e que foi votado e aprovado pela Assembléia Legislativa por duas vezes", revelou o governador Robinson.

Robinson (PSD) assegurou ainda que, para o governo do RN este será o principal ponto de pauta da reunião tendo em vista o quadro de asfixia financeira pelo qual passam a maioria dos estados brasileiros.
"Nossa expectativa é a de voltar de Brasilia com um resultado positivo que nos proporcione condições suficientes para resolvermos a questão do atraso dos salários dos servidores com uma melhor oxigenação financeira dos cofres estaduais por parte do governo federal dentro de uma pactuação federativa, sendo esta uma bandeira a ser empunhada principalmente pelo presidente Michel Temer", argumentou Robinson.  Que tem sido o principal interlocutor dos estados nordestinos nas discussões anti-crise, junto ao governo federal.



Nenhum comentário:

Postar um comentário