quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Grupo de arquitetura da UFRN disputa com USP e UnB prêmio nacional AR



O projeto “Olhos da Ribeira” está entre os finalistas da primeira edição nacional do UrbanLab, iniciativa vinculada ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e que tem como objetivo encontrar soluções criativas e ideias inovadoras para problemas urbanos encontrados na América Latina e no Caribe. O resultado será conhecido no dia 30 de novembro, em Washington, nos Estados Unidos, sede do BID.

O projeto foi desenvolvido no curso de Arquitetura da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) sob a coordenação de Ruth Maria da Costa Ataíde, junto com os estudantes Marcela Lorena Farkat Scheer, Dmetryus Targino Marques de Souza, Nicholas Saraiva Martino e Mariah Oliveira Holder da Silva. Eles terão a concorrência de grupos da Universidade de Brasília (UnB) e da Universidade de São Paulo (USP). 
O objetivo da premiação é desenvolver um projeto urbanístico, social e patrimonial de caráter integral, multissetorial, inovador e sustentável, para um polígono de intervenção no histórico bairro da Ribeira. Os vencedores trabalharão, entre fevereiro e março de 2018, com técnicos locais, Prefeitura do Natal, especialistas do BID, do Ministério das Cidades e da Caixa Econômica Federal na aplicação do projeto no bairro da Ribeira.
Ao todo, esta primeira edição nacional do UrbanLab recebeu na primeira fase 40 propostas de 31 universidades do país. A equipe vencedora receberá a quantia de cinco mil dólares e os projetos apresentados no concurso receberão certificados de reconhecimento, ficando em exposição temporária na sede do BID em Washington, D.C.
BID UrbanLab
O BID UrbanLab é um concurso universitário destinado a buscar soluções criativas e ideias inovadoras para os problemas urbanos da América Latina e do Caribe (ALC), em parceria com estudantes, professores universitários e jovens profissionais. Seu objetivo é atuar como incubadora de talentos jovens em questões urbanas, a partir de uma rede de trabalho com universidades; fechar a lacuna entre os jovens e o mercado de trabalho; e promover um espaço participativo para a discussão dos paradigmas da disciplina. Após o sucesso das duas primeiras edições internacionais do concurso – em 2015, no bairro de Curundú, Panamá e em 2016 na cidade de Santa Marta, Colômbia– uma terceira edição, em parceria com a Província de Mendoza, Argentina, está em curso em 2017. Outras informações sobre o concurso podem ser obtidas através do.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário