quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Kadu Ciarlini destaca importância de Mossoró na política e diz que não está em seus planos ser vice de Carlos Eduardo

O publicitário Kadu Ciarlini, visto em Natal como um provável vice na chapa do governadorável Carlos Eduardo, afirmou nas suas redes sociais que seu projeto não é este.
Kadu segue com o projeto de disputar uma vaga na Assembleia Legislativa, já que Mossoró hoje não tem representante no legislativo estadual. Isso
“De antemão digo que não desejo nem pleiteio a indicação para concorrer a essa função”, afirmou Kadu.


“Estou satisfeito com a minha profissão, que inclusive tem muito a ver com a política, uma vez que atuo e gosto de atuar em campanhas, mas, caso o agrupamento político que defendo ache que eu deva entrar nesse grande desafio que é ter uma boa atuação dentro da política nos dias atuais”, afirmou o publicitário mossoroense.

“Caso eu aceite esse desafio, acredito que o ideal seria disputar uma função em que eu possa mostrar meu trabalho, que tenho ideias próprias e ter um grande desempenho até para fazer valer esse eventual início dessa trajetória”, ressaltou Kadu

“Vejo como fora do contexto hoje essa possibilidade de meu nome ser indicado para concorrer a vice-governador. Se o PP vier a ser convidado a indicar qualquer nome em alguma chapa, coisa que nem houve, certamente há outros nomes que podem encampar essa missão”, concluiu.

Kadu diz que defende que Mossoró merece maior protagonismo e que torce para que ocupe mais espaços, a começar pela Assembleia Legislativa, que “na eleição passada nenhum nome com base em Mossoró, 2ª maior cidade do RN, se elegeu. Num passado recente já teve 4”.

Apesar do histórico real de chapas derrotadas com vices indicados por Mossoró – coincidência ou não – Kadu Ciarlini lembrou que as últimas 3 eleições majoritárias foram definidas por Mossoró.

“Em 2006 para o Senado, em 2010 para o governo e em 2014 para o senado e governo, as vantagens criadas por quem venceu a eleição na cidade foram praticamente irreversíveis no restante do estado. Quando se abre uma vantagem expressiva em Mossoró é dificílimo reverter”, justificou.

Do Blog de Thaisa Galvão.


Nenhum comentário:

Postar um comentário