sábado, 11 de novembro de 2017

Município se reúne com representantes do Sindserpum

A Prefeitura de Mossoró se reuniu na tarde desta sexta-feira (10) com representantes do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SINDSERPUM), que solicitam reajuste salarial para a categoria. Estiveram presentes pelo município o Secretário de Administração e Finanças, Ronaldo Cruz, o Consultor Geral, Anselmo Carvalho e o Procurador Geral, Júlio César.

Durante a reunião foi explicado que o município não pode conceder nenhum tipo de reajuste, já que ainda está acima da Lei de Responsabilidade Fiscal.  “Recebemos da gestão passada o município com a lei de responsabilidade fiscal em 64%. Atualmente o município compromete um pouco mais que 54% da sua receita com despesa de pessoal. Então, tendo em vista essa situação, não se pode fazer nenhum tipo de reajuste salarial. Isso foi explicado e apresentado inclusive com os números”, explicou Anselmo Carvalho.
Foi considerada ainda a quebra de fluxo de caixa da receita esperada do município, o que também é empecilho para conceder o reajuste neste momento. No entanto, possíveis soluções foram apresentadas.  “O município está procurando aumentar a receita e cobrar os maiores devedores. A Procuradoria está organizando um mutirão de cobranças com o Tribunal de Justiça para que sejam feitas audiências de conciliação e que resolvam os problemas judiciais”, destacou Anselmo.
FALTAS
Sobre os servidores municipais que tiveram faltas anotadas relativas aos dias de paralisação, é possível fazer uma reposição. “Foram poucos servidores que aderiram a greve e foram poucos os que tiveram as faltas anotadas. A própria determinação do Supremo Tribunal Federal já aponta a possibilidade de negociação para fazer a reposição. Na medida que forem sendo repostas essas faltas, o pagamento vai sendo feito”, disse Anselmo.
DIÁLOGO
O secretário de Administração e Finanças, Ronaldo Cruz, explicou ao final da reunião que as portas do município seguem abertas para o Sindicato. “A relação da Prefeitura com o Sindicato não mudou em nada com relação ao diálogo e tentativa de negociação. Continuamos com as portas abertas para conversarmos”, frisou.


Nenhum comentário:

Postar um comentário