domingo, 3 de dezembro de 2017

Reconstruída e classificada: Chape vence, vai à Libertadores e rebaixa o Coritiba


Reconstrução. História. Exemplo. Superação. Eterno. Escolha a palavra que for. O Corinthians que me desculpe, parabéns pelo título, mas vai ser difícil encontrar um enredo mais bonito que o da Chapecoense em 2017. Roteiro de filme. Com direito a gol de Túlio de Melo no minuto final da temporada, o Verdão venceu o Coritiba por 2 a 1 na Arena Condá, neste domingo, e se classificou para Libertadores. No gramado que há exatamente um ano 50 pessoas eram veladas, o clube consolidou uma volta por cima irretocável. O Coxa, por sua vez, está na Série B.


A postura das equipes no início do ano era evidente: a Chape relaxada, sem a concentração da série invicta de nove jogos, e o Coxa firme a cada disputa de bola. Não demorou muito para que os visitantes fossem recompensados com gol: aos 14, Kléber recebeu com liberdade para ajeitar o corpo e acertar o ângulo de Jandrei. Golaço. Em vantagem, o Coritiba seguiu com marcação alta, enquanto o Verdão timidamente se soltava pela direita, com João Pedro e Apodi. A maior posse de bola naturalmente fez com que a Chapecoense arriscasse um pouco mais. Wilson pouco trabalhava, até que em cruzamento despretensioso Elicarlos surpreendeu o goleiro e colocou na gaveta. Dejà vu de Ronaldinho contra a Inglaterra em 2002. Tudo igual em um intervalo em que os resultados das outras partidas ajudavam aos dois.
A etapa final foi marcada pela tensão. Não demorou muito para Sport e São Paulo saírem na frente de Corinthians e Bahia, o que obrigava vitória de um dos lados na Arena Condá. Chape e Coxa se mandaram para o ataque, mas optaram pelo abafa em vez da troca de passes em busca de espaço nas congestionadas defesas. Do lado dos visitantes, Carleto era a válvula de escape. Bolas e mais bolas foram alçadas na área, nada que tirasse o sono de Jandrei. Já o Verdão do Oeste esvoaçou uma pressão. Forma cinco escanteios quase que consecutivos, Wilson trabalhou e evitou a virada. A medida que o tempo avançava, o desespero também crescia. As duas equipes se lançaram como dava. Kléber desperdiçou dois contra-ataques. Apodi acertou o travessão. Reinaldo quase marcou. E Túlio de Melo colocou o Verdão na Libertadores. Lindo passe de Canteros, assistência de Apodi, gol do camisa 10. A Chape volta à maior competição da América. O Coxa vai para Série B.
A vitória levou a Chapecoense aos 54 pontos, na oitava colocação, deixando para trás o Botafogo, que empatou em casa com o Cruzeiro. É a melhor participação do clube na história da Série A em colocação e pontuação. Já o Coritiba, com 43 pontos, foi ultrapassado pelo Sport e terminou na 17ª colocação.
A tarde de domingo foi emocionante e especial na Arena Condá. Antes de a bola rolar, jogadores, comissão, diretoria e funcionários entraram em campo junto com Follmann e Neto com camisas com os nomes das vítimas do acidente de 29/11. Ao apito final, os sobrevivente puxaram a festa guiando o carro-maca em volta olímpica. A Chape se reconstruiu, e em altíssimo nível.
O Coritiba se salvou e caiu em questão de segundos. Quando tomava o gol aos 50 minutos da Chapecoense, o Flamengo fazia o gol sobre o Vitória para vencer a partida. Se permanecesse o empate, o Alviverde estava salvo, mas acabou rebaixado pela diferença de um gol no saldo

Nenhum comentário:

Postar um comentário