quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

UFRN discute implantação de sistema integrado de saúde



A apresentação do projeto do sistema integrado de saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) foi feita na manhã desta terça-feira, 5, para unidades e departamentos da instituição de ensino. A plataforma está prevista para ser desenvolvida no início de 2018 pelo Instituto Metrópole Digital (IMD).


O sistema será um ambiente virtual que dará suporte ao armazenamento de prontuários, medicamentos, controle financeiro, agendamentos e consultas de pacientes atendidos nas clínicas-escola de diversas áreas, como psicologia, fisioterapia, nutrição, medicina e fonoaudiologia.


Para o reitor em exercício, José Daniel Diniz Melo, a UFRN percebeu a necessidade de criar um sistema informatizado de saúde devido à grande demanda de atendimentos que a Universidade efetua. “Dessa forma, estamos apresentando a plataforma para que os setores interessados possam avaliar as necessidades e propor melhorias, além de pactuar a melhor forma de tornar o projeto possível”, explicou.


Na opinião do diretor da Faculdade de Ciências da saúde do Trairi (Facisa), Edvaldo Vasconcelos de Carvalho Filho, o projeto vai agilizar os encaminhamentos de consultas e tratamentos, já que hoje os profissionais da saúde não têm acesso ao histórico do paciente. “O sistema vai possibilitar um ambiente multidisciplinar de informações, além de ser uma plataforma de armazenamento de dados, que poderão ser utilizados para pesquisa na pós-graduação”, opinou.


Já para o vice-diretor do Centro de Ciência Humanas, Letras e Artes (CCHLA), Sebastião Faustino Pereira Filho, a proposta vai dar condições de planejar políticas de saúde mais eficazes com base no banco de dados disponível no sistema.


A diretora do Instituto de Medicina Tropical (IMT), Selma Maria Bezerra Jerônimo, citou que a plataforma possibilita a integração de dados, o que melhora o serviço do profissional da saúde, pois ele vai ter acesso a prontuários e dar melhor resolução aos problemas.
Participaram ainda da reunião representantes do Instituto Metrópole Digital (IMD), Centro de Ciências da Saúde (CCS) e do Centro de Biociências (CB).



Nenhum comentário:

Postar um comentário