sábado, 14 de abril de 2018

EUA atacam a Síria, com apoio de França e Reino Unido


Os Estados Unidos, o Reino Unido e a França anunciaram na noite desta sexta-feira (13) que lançaram um ataque em conjunto contra estabelecimentos de armas químicas na Síria, em resposta ao suposto ataque químico contra a cidade de Duma no dia 7 de abril. O regime sírio nega o uso de armas químicas, que são proibidas por convenções da ONU.

As forças aéreas e marinhas dos três países lançaram os primeiros ataques por volta das 21h de Washington (22h, no horário de Brasília), durante o pronunciamento do presidente americano Donald Trump na Casa Branca. Os sistemas de Defesa da Síria reagiram, atingindo 13 mísseis em Al Kiswah, nos subúrbios de Damasco.

O Pentágono anunciou que três alvos foram atingidos na Síria: um centro de pesquisa e produção de armas químicas e biológicas em Damasco, um armazém de armas químicas em Homs, a leste de Damasco – em que os EUA acreditam que estavam estoques de gás sarin – e uma base na mesma cidade que também teria armas químicas.

O Exército sírio afirmou neste sábado (14) que o bombardeio lançado pelos Estados Unidos, França e Reino Unido em represália a um suposto ataque químico ocorrido há uma semana na cidade de Duma, na Síria, feriu três civis na província de Homs.

"Alguns mísseis, que estavam indo para uma posição militar perto de Homs, foram desviados de sua trajetória e a explosão de um deles feriu três civis", disse o porta-voz do Comando Geral do Exército sírio, Ali Maihub, em discurso televisionado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário