sábado, 7 de abril de 2018

Lula e o teatro para história


*Por Bruno Barreto

O que acontece no Sindicato dos Metalúrgicos em São Bernardo do Campo (SP) é um ato calculado e muito bem organizado de mobilização política. Não poderia ser diferente quando um político do tamanho de Lula está com prisão decretada.

Está clara a jogada: formar um cordão humano para impedir a prisão de Lula e inibir a Polícia Federal. O movimento de resistência é na verdade um teatro para mostrar que o povo ficou em defesa do ex-presidente.

Mas nos bastidores advogados do ex-presidente negocia com a Polícia Federal. Ele vai se entregar em algum momento até porque essa manifestação não conseguirá durar para sempre.

Tudo sendo organizado para termos imagens e fotos que ficarão na história. O petismo quer construir a sua própria narrativa para reforçar a imagem de vítima de Lula. Há um risco de algum confronto físico se a corda for esticada.

A prioridade é encenar um teatro para história e minimizar o estrago na imagem de Lula.

* Bruno Barreto é Jornalista graduado em comunicação Social, especialista em assessoria de comunicação e mestrando em ciências sociais e humanas pela.



Nenhum comentário:

Postar um comentário