terça-feira, 17 de abril de 2018

Professores da rede estadual rejeitam proposta e votam pela continuidade da greve


Em assembleia ocorrida na manhã desta terça-feira, 17, os professores da rede estadual de ensino em Natal decidiram pela continuidade da greve e rejeitaram a proposta discutida em audiência entre representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Rio Grande do Norte (Sinte/RN) e do Governo do Estado na última quarta-feira, 11.

De acordo com a coordenadora do Sinte/RN estadual, Fátima Cardoso, a categoria quer que a proposta melhore para os aposentados. “A vontade dos professores da ativa é melhorar a proposta para os aposentados. Queremos que os inativos sejam respeitados”, disse a coordenadora que informou ainda que uma reunião com o judiciário deverá ser marcada antes da próxima assembleia dos professores na quinta-feira, 19.

“Nós marcamos uma assembleia para esta quinta-feira e vamos tentar agendar uma reunião com o judiciário. Vamos conversar para que a proposta melhore. A reunião ainda não tem uma data, mas vamos tentar para a amanhã (quarta-feira)”, justificou.

Em comunicado publicado na manhã desta terça-feira, 17, em sua página oficial, o Governo do Rio Grande do Norte, através da Secretaria de Educação do RN, diz que acatou a apresentada pelo Desembargador Glauber Rêgo, em audiência realizada na última quarta-feira (11), no Tribunal de Justiça, contando com as presenças de representantes da Seec e do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do RN, que garante o pagamento dos 6,81% do reajuste ao magistério estadual.

Segundo o documento, os professores da ativa receberão o reajuste a partir do mês de abril, que deverá ser paga através de folha suplementar, e os inativos terão seus vencimentos atualizados por meio de seis parcelas, de abril a setembro.

O executivo esclarece que serão pagos para todos, também em seis meses, a partir de outubro, o valor referente ao retroativo dos meses de janeiro a março e, para os inativos, simultaneamente, ainda serão corrigidas as perdas decorrentes do parcelamento dos 6,81% , iniciando em outubro.

Os professores da rede estadual de ensino entraram em greve no último dia 22 de março. Os profissionais querem que a proposta para pagar o Piso Salarial, no ponto que se refere aos aposentados, seja devidamente esclarecida. A assembleia também decidiu esperar que o governo se posicione acerca de toda a proposta. Uma nova assembleia for marcada para a próxima terça-feira (17), às 8h30, no Winston Churchill.

Além da correção do Piso Salarial, os trabalhadores em educação estão em greve por melhores condições de trabalho e em prol de reformas nas escolas. Tal ponto tem o total apoio dos estudantes, conforme demonstrado nos atos e assembleias realizados ao longo da greve. Na próxima semana uma audiência deverá acontecer com o Secretário Adjunto da Educação, Marino Azevedo, para tratar deste ponto.

A categoria também exige o pagamento de direitos que vêm sendo negados e o pagamento em dia dos salários dos aposentados, pagos com atraso há quase 27 meses.

Fonte: Defato.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário