quinta-feira, 17 de maio de 2018

Assembleia Legislativa terá Procuradoria da Mulher para ações de políticas públicas


Assembleia Legislativa terá Procuradoria da Mulher para ações de políticas públicasA Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte se prepara para discutir e elaborar a criação de um núcleo destinado a políticas públicas sociais e assistenciais para mulheres. A ideia foi anunciada pela deputada Cristiane Dantas (PCdoB), durante a oficina itinerante “Senado Mulheres nas Casas Legislativas”, realizado na sede do Poder Legislativa, em Natal, nesta quinta-feira (17).

“Visitamos o projeto que já está funcionando no Ceará e pretendemos ter algo semelhante na Assembleia Legislativa do nosso Estado. Será um núcleo de assistência à mulher, com ações sociais e assistenciais, a fim de promovermos igualdade”, destacou a deputada, que também é presidente da Frente Parlamentar da Mulher.

Na abertura da oficina itinerante do Senado, as senadoras Fátima Bezerra (PT) e Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), senadora-procuradora da Mulher, valorizaram a iniciativa do legislativo potiguar. Na Assembleia, a ideia da deputada Cristiane Dantas foi formalizada em projeto de resolução, já submetido à apreciação da Mesa Diretora.

“Atravessamos um período em que a força da mulher tem sido colocada à prova, mas, apesar de tudo, temos tido demonstrações de como as mulheres e sua luta têm sido importantes para a luta pela democracia no Brasil”, destacou a senadora Fátima Bezerra.
Para Grazziontin, iniciativas tomadas pela Assembleia Legislativa reforçam o caráter de lutas. “Há importantes frentes sobre a mulher que precisam chegar para o debate. Vivemos a questão do feminicídio e várias formas de abusos perpetradas contra as mulheres cotidianamente. As ações como a criação de uma procuradoria da mulher, como já temos no Senado, devem ser estimuladas”.
Ao longo do dia, a Assembleia Legislativa terá na programação da oficina itinerante a palestra “Violência de gênero contra as mulheres: desafios e perspectivas”, pela promotora Érika Canuto, que coordena o Núcleo de Apoio à Mulher Vítima da Violência Doméstica e Familiar do MPE.

Nenhum comentário:

Postar um comentário