terça-feira, 3 de julho de 2018

Desaparecidos há 9 dias são encontrados vivos em caverna na Tailândia mas ainda podem ficar meses presos


Desaparecidos há nove dias, 12 adolescentes e um técnico de futebol foram encontrados com vida no interior de uma caverna, na Tailândia. O local tem 10 quilômetros de extensão e tem várias subdivisões. A região é sujeita a inundações.

Os trabalhos de busca na caverna, que fica no parque natural Tham Luang-Khun Nam Nang Noon, contaram com a participação de 1.300 pessoas e incluiu o exército tailandês e especialistas de Estados Unidos, Japão, China e Austrália.


O governador da província de Chiang Rai, Narongsak Osottanakorn, afirmou que os jovens, de 11 a 16 anos, que são de um time de futebol, e o treinador, de 26, estavam em uma área que não havia sido alagada no interior da caverna.

Dificuldades

De acordo com relatos, a maior dificuldade nas buscas foram as estreitas passagens que estavam inundadas ao longo da caverna, que é a quarta mais extensa da Tailândia.

As equipes de resgate utilizaram 20 bombas de extração para reduzir o nível da água nas partes mais inundadas, mas o trabalho foi dificultado pelas fortes chuvas na região, além de problemas mecânicos nos próprios aparelhos.

Os jovens e o técnico entraram na caverna no dia 23 de junho após um treino, e pouco depois começou um temporal que inundou o trecho inicial, o que impediu que eles conseguissem sair.

+++++

Apesar de terem sido encontrados eles podem permanecer no local durante "meses", até serem retirados, afirmaram fontes oficiais.

"Vamos enviar comida para pelo menos quatro meses e vamos ensinar aos 13 como mergulhar, enquanto continuamos drenando a água" que inunda as galerias de acesso à cavidade onde o grupo permanece preso, afirmou, em comunicado, o capitão Anand Surawan, das Forças Armadas tailandesas.

O governador da província de Chiang Rai, Narongsak Osottanakorn, confirmou que encontraram com vida os desaparecidos - 12 adolescentes entre 11 e 16 anos e um adulto de 26 - após operações de resgate que começaram no dia 23 de junho, com a participação de 1.300 pessoas.

Eles não apresentam problemas críticos de saúde, após serem examinados por um grupo de médicos.

Narongsak declarou à Agência EFE que não pode estimar quanto tempo vão durar os trabalhos de resgate.

Uma missão avançada de mergulhadores conseguiu chegar ontem (2) à noite ao local onde estão as 13 pessoas.

"Obrigado!", "Que dia é hoje?" e "Estamos com fome!" foram algumas das frases trocadas com as equipes de resgate, antes de tirar fotografias para confirmar que foram encontrados.

O grupo foi localizado após vários dias de intensa busca na caverna, que tem 10 quilômetros de extensão e está parcialmente inundada. O trabalho foi feito com a ajuda do Exército tailandês e especialistas dos Estados Unidos, do Japão, da China e Austrália, entre outros países.

Desde que o alarme foi acionado, cerca de 1.300 pessoas participam das operações de busca e resgate na gruta do parque natural Tham Luang-Khun Nam Nang Noon.

O principal impedimento são as passagens estreitas inundadas ao longo da caverna, que é a quarta mais extensa da Tailândia.

As equipes de resgate utilizaram 20 bombas de extração para reduzir o nível da água nas partes mais inundadas, mas o trabalho foi dificultado pelas fortes chuvas na região, além de problemas mecânicos nos próprios aparelhos.

Segundo a versão oficial, os jovens e o técnico entraram na caverna no dia 23 de junho após um treino, e pouco depois começou um temporal que inundou o trecho inicial, o que impediu que eles conseguissem sair.

Com informações da Agência Brasil e Agência EFE





Nenhum comentário:

Postar um comentário