quarta-feira, 18 de julho de 2018

Meninos tailandeses dizem que cavaram em busca de saída da caverna


Os 12 meninos que passaram mais de duas semanas presos em uma caverna, junto com seu treinador, no norte da Tailândia, disseram nesta quarta-feira (18), em entrevista coletiva, que chegaram a cavar em busca de uma saída antes de serem localizados pelos mergulhadores.

Um dos meninos revelou que eles chegaram a cavar "três ou quatro metros" em busca de uma saída da gruta nos 9 dias que transcorreram antes que mergulhadores britânicos os encontrassem em uma cavidade situada a 4 quilômetros da entrada da caverna.

Outro menino descreveu como "milagroso" o momento em que foram localizados.


Durante esses 9 dias, os meninos ficaram sem comer e beberam a água que escorria pelas paredes da caverna, explicou o treinador, Ekapol Chantawong, que também ficou preso na gruta.

Outros meninos afirmaram que não sentiram fome em um primeiro momento, mas que depois de 48 horas começaram a se sentir cansados e fracos.

Os 12 meninos, que têm entre 11 e 16 anos de idade, e Ekapol, de 26, entraram na caverna durante uma excursão em 23 de junho e ficaram presos depois que a gruta foi inundada pelas chuvas de monção até seu resgate entre os dias 8 e 10 de julho.

As equipes de busca e resgate, que chegaram a somar mais de mil pessoas, os sedaram e transportaram em macas e sob a água nos lances inundados até a saída.

Desde então, o grupo permaneceu internado no hospital Prachanukroh, de Chiang Rai, a capital da província homônima, e oferece hoje sua primeira entrevista coletiva após receber alta nesse centro de saúde.

Os médicos indicaram que os meninos recuperaram força mental e física suficientes para retornarem às suas casas.

O governo tailandês recomendou ao grupo que volte para sua vida normal e evite se transformar no foco dos meios de comunicação.

Agência Brasil




Nenhum comentário:

Postar um comentário