sexta-feira, 13 de julho de 2018

Ministério prorroga permanência de força de intervenção na Penitenciária de Alcaçuz

Agentes penitenciários após intervenção nos pavilhões 1, 2 e 3 de Alcaçuz, em janeiro de 2017 (Foto: Divulgação / Força Tarefa Penitenciária)

Força-Tarefa de Intervenção Penitenciária (FTIP) está no RN desde o dia 27 de janeiro de 2017, após o massacre ocorrido na unidade prisional.

Agentes penitenciários após intervenção nos pavilhões 1, 2 e 3 de Alcaçuz, em janeiro de 2017 (Foto: Divulgação / Força Tarefa Penitenciária)Agentes penitenciários após intervenção nos pavilhões 1, 2 e 3 de Alcaçuz, em janeiro de 2017 (Foto: Divulgação / Força Tarefa Penitenciária)

O Governo Federal autorizou a permanência da Força-Tarefa de Intervenção Penitenciária (FTIP) na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, na Grande Natal, por mais 30 dias. A portaria de prorrogação do prazo foi publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (13), e assinada pelo ministro Extraordinário de Segurança Pública, Raul Jungmann.
A FTIP está no Rio Grande do Norte desde 27 de janeiro de 2017, após a rebelião que aconteceu na Penitenciária de Alcaçuz e deixou 26 presidiários mortos. Desde então os prazos de permanência da Força-Tarefa vêm sendo prorrogados, a pedido do Governo do Estado.
A operação terá o apoio logístico e a supervisão dos órgãos de administração penitenciária e Segurança Pública do Rio Grande do Norte, nos termos do convênio de cooperação firmado com a União, durante a vigência da portaria autorizativa.
De acordo com a publicação, os agentes da Força-Tarefa de Intervenção Penitenciária devem exercer atividades e serviços de guarda, vigilância e custódia de presos.
Ainda segundo a portaria, o número de profissionais a ser disponibilizado pelo Ministério da Segurança Pública obedecerá ao planejamento definido pelos entes envolvidos na operação. Na primeira vez que a Força-Tarefa foi enviada, 78 homens desembarcaram no estado potiguar para atuar na unidade prisional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário