sexta-feira, 10 de agosto de 2018

Construção de novas escolas beneficiam quatro municípios do RN


A realidade do ensino de São Gonçalo do Amarante, Ceará Mirim e João Câmara, deve mudar em breve com a conclusão das obras de novas escolas de Ensino Médio que irão atender às zonas rural, urbana, população indígena e assentados da reforma agrária. Em Natal, no Parque dos Coqueiros, um centro estadual de educação profissional fortalecerá a integração do Ensino Médio com a educação profissional. Quando inauguradas, as unidades de ensino terão capacidade para atender mais de 3 mil alunos do ensino médio.

Para acompanhar o andamento das obras, com conclusão prevista para dezembro de 2018, as secretárias do Gabinete Civil, Tatiana Mendes Cunha, e da Educação, Cláudia Santa Rosa, e o secretário de Infraestrutura, Jader Torres, percorreram os municípios na quinta-feira (9).


Na Zona Rural de Ceará-Mirim a construção de uma escola estadual, localizada no Assentamento do Rosário, está com 36% dos serviços executados. A unidade representa o atendimento, por parte da gestão estadual, das demandas dos movimentos sociais por escolas em assentamentos e tem um custo de R$ 2,7 milhões. Ainda no município de Ceará Mirim, está em andamento a construção da nova escola estadual no loteamento Muriú. A obra encontra-se com 48% de sua totalidade concluída e representa um investimento de R$ 4,9 milhões. As duas unidades de ensino devem beneficiar 400 alunos por turno.

Para o integrante do MST, Lucenilson Ângelo, a construção da Escola do Rosário é uma conquista importante para o assentamento que já existe há mais de 20 anos no local. “Com essa escola as crianças e jovens não vão mais precisar se deslocar para ter acesso ao ensino e poderão ter uma educação de acordo com a realidade local e aproximada da produção agrícola. Sem falar no benefício da quadra de esportes, que hoje é inexistente na comunidade”, aponta o dirigente do movimento.

No município de João Câmara, é a Comunidade Indígena do Amarelão que será beneficiada com a construção de uma nova escola estadual, que deve atender cerca de 320 alunos por turno. Com 43% das obras concluídas, a escola está recebendo um investimento de R$ 4,7 milhões.

“Essas novas escolas são um modelo inédito no RN e refletem a preocupação do Estado em oferecer estrutura de acordo com as necessidades das comunidades e grupos minoritários. Houve um reconhecimento da área e a contribuição dos moradores para a criação desses projetos que irão impulsionar a educação dos jovens e adultos”, afirmou a Secretária-chefe, Tatiana Mendes Cunha.

Com recursos do acordo de empréstimo com o Banco Mundial, todas as escolas estão sendo construídas atendendo critérios técnicos de sustentabilidade, conforto térmico, visando à redução de custos de operação da unidade de ensino, e observando a carência das localidades por vagas na rede estadual de ensino.

“As escolas de campo vão mudar a realidade dos jovens potiguares, que não precisarão deixar suas comunidades rurais para ter acesso a educação de qualidade. São escolas sustentáveis pensadas especialmente para atender esta demanda”, registra o secretário da Sethas e coordenador do projeto junto ao Banco Mundial, Vagner Araújo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário