sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Polícia prende acusado de matar irmãs; uma delas estava grávida de oito meses

Robson Francisco

Agentes da Delegacia de Homicídios de Mossoró prenderam na tarde de quinta-feira, 2, Robson Francisco Silva dos Santos, de 26 anos de idade, principal acusado da morte das irmãs Sheylla Mendonça Bezerra, 19, que estava grávida de oito meses, e Samira Mendonça Bezerra, 23. O bebê que tinha 36 semanas não sobreviveu.

O acusado foi preso na casa dos pais no bairro Belo Horizonte, zona sul da cidade. A prisão foi feita pela equipe dos delegados Rafael Arraes e Liana Aragão, por ordem da Justiça.


O crime aconteceu na noite do último sábado, 28, no bairro Alto da Conceição, zona sul. Sheylla e Samira estava no apartamento onde moravam quando foram surpreendidas pelo assassino. As duas foram mortas com tiros na cabeça. A mãe das vítimas, Sônia Maria Mendonça, de 50 anos (foto abaixo), foi atingida por disparos de raspão na cabeça e só escapou porque fingiu que estava morta.



Uma equipe do Samu, que chegou 15 minutos após o crime, ainda conseguiu fazer o parto, mas o bebê não sobreviveu a uma parada cardíaca e morreu ao dar entrada na Maternidade Almeida Castro. De acordo com a polícia o crime passou a ser considerado triplo homicídio.

Robson Francisco nega a autoria do crime. Mas, segundo o delegado Rafael Arraes, da Divisão de Homicídios de Mossoró, as evidências contra ele são muito forte. “A gente tem termo de reconhecimento, tem provas que ele esteve no local, que ele entrou em contato com a vítima (Sheylla) minutos antes de ir ao local do crime, e até antes de efetuar os disparos”, afirmou o delegado em entrevista à imprensa. “A Sheylla gritou o nome dele, Robson, o que é isso?”, relatou, ao afirmar que essa frase foi ouvida por várias testemunhas.

O delegado aponta o acusado como um indivíduo frio, calma, sem esboçar qualquer tipo de reação ou sentimento. “Ele nega ter cometido o crime; às vezes fica pensativo; é uma pessoas bastante fria”, disse Arraes.

De acordo com as investigações feitas pela polícia, relatadas pelo delegado, o acusado teria ido ao apartamento da companheira naquela noite para ver o enxoval do bebê. “Ele pediu para ver o enxoval da criança, inclusive, ele estava até esperando um dinheiro para ajudar nas despesas”, revelou o delegado.

Defato.com





Nenhum comentário:

Postar um comentário