terça-feira, 4 de setembro de 2018

Ciro ataca Bolsonaro, xinga Doria e diz que não é ‘vesgo à esquerda’


Em discurso para uma associação de aposentados e pensionistas em Jundiaí (SP), no domingo, 2, o candidato à Presidência pelo PDT, Ciro Gomes, atacou o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) e xingou o candidato ao governo de São Paulo João Doria (PSDB). Ao defender propostas de seu programa de governo, Ciro afirmou que Bolsonaro quer se beneficiar ao falar sobre valores cristãos e chamou João Doria de “vagabundo” e “nojento”.

Enquanto Bolsonaro lidera as pesquisas de intenção de voto no cenário em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não é apresentado como candidato, Doria está à frente nas sondagens para o governo paulista. Em São Paulo, o PDT lançou a candidatura do ex-prefeito de Suzano Marcelo Cândido para o Palácio dos Bandeirantes.


Ciro tentou descolar seu discurso da chamada extrema esquerda ao defender uma união do País. “Esse país está doente, está muito doente. Porque algum pode pensar, e querem fazer isso comigo, que eu tenho olho vesgo, que eu sou da esquerda, que eu só vejo o lado do pobre, que eu não sei que o País precisa se unir. Não, não, esse aí é outro”, disse Ciro, enfatizando que o seu desejo era “encerrar essa luta odienta de coxinhas e mortadelas”.

Ao falar sobre Bolsonaro, o pedetista disse que “ideia da decência” não pode ser vantagem e que o discurso de “cristão” e “família” não pode superar a discussão sobre o modelo de economia para o Brasil. “O Paulo Guedes (assessor econômico de Bolsonaro) propõe formalmente privatizar Petrobras, Banco do Brasil, Caixa Econômica”, citou.

Estadão Conteúdo


Nenhum comentário:

Postar um comentário