sexta-feira, 28 de setembro de 2018

Henrique Alves vai voltar ao poder se Carlos Eduardo vencer, afirma Robinson


O governador Robinson Faria (PSD) acredita que o ex-ministro Henrique Alves (MDB) voltará simbolicamente ao poder no Rio Grande do Norte caso seu primo, o candidato Carlos Eduardo Alves (PDT), ganhe as eleições deste ano ao governo. Em entrevista à 98 FM, Robinson demonstrou preocupação com a situação do RN, caso os Alves voltem a ser um nome dominante na administração do Executivo Estadual.

“O prefeito de Natal Álvaro Dias foi indicação de Henrique Alves. Eu não tenho nada contra Álvaro, mas é certo que Henrique Alves vai voltar ao poder se seu primo vencer [as eleições para o Governo do RN]”, afirmou.

Embora tenha prometido que não retornaria à política após deixar a Academia de Polícia, onde ficou preso entre 6 de junho de 2017 e 4 de maio de 2018, fontes próximas afirmar que o ex-presidente da Câmara dos Deputados tem ajudado a articular a campanha de Carlos Eduardo.


Ainda durante a entrevista na rádio, Robinson afirmou que tem sido sucessivamente “sabotado” em Brasília porque venceu Henrique Alves nas eleições ao Governo do RN em 2014. “Eu derrotei as oligarquias. Quem derrota um Alves no RN fica sentenciado. Enquanto não se destruir a pessoa que derrotou um Alves, eles não se conformam. Eles têm televisão e jornal, e diariamente, por quatro anos, fizeram matérias negativas contra mim”, criticou.

Henrique Alves foi preso por força de dois mandados de prisão preventiva, um expedido pela Justiça Federal do Rio Grande do Norte e outro pela de Brasília. O primeiro deles, relativo à operação Manus (que apura supostos desvios na construção da Arena das Dunas), já havia sido derrubado em fevereiro. O segundo, relativo à operação Sépsis, apura fraudes na Caixa Econômica Federal. O ex-ministro atualmente cumpre recolhimento em regime domiciliar. A medida foi imposta em fevereiro pelo juiz Eduardo Guimarães Farias, da 14ª Vara Federal do RN, em substituição à prisão preventiva da operação Manus.

Agora RN


Nenhum comentário:

Postar um comentário