sábado, 1 de setembro de 2018

Secretária de Educação comenta relatório do Inep: "educação básica precisa de mais seriedade"


A secretária de Educação do RN, Cláudia Santa Rosa, aproveitou as redes sociais para divulgar o relatório do Inep, que mostra que sete de cada dez alunos do 3º ano do ensino médio têm nível insuficiente em português e matemática. Entre os estudantes desta etapa de ensino, menos de 4% têm conhecimento adequado nestas disciplinas.

Para ela, a "educação básica precisa de mais seriedade". O MEC/INEP divulgou os dados do SAEB - Sistema de Avaliação da Educação Básica que revelam um país desigual e dificuldades de promover equidade no direito à aprendizagem. Para o Ministro da Educação "o ensino médio está absolutamente falido. No fundo do poço. Números aterrorizadores. A cada 10 jovens, 7 estão com conhecimento insuficiente".  A secretária enalteceu este ponto em sua rede social e explicou que o processo de recuperação  é lento e gradual.


"N enhum resultado é imediato. Vejam o exemplo do Maranhão que todos tomamos como referência quanto à remuneração dos professores. Observemos os resultados", disse ela, ao responder questionamento de pessoas que comentavam em sua página no Facebook.

O Saeb é a avaliação utilizada pelo governo federal, a cada dois anos, para medir a aprendizagem dos alunos ao fim de cada etapa de ensino: ao 5º e 9º anos do ensino fundamental e 3º ano do ensino médio. O sistema é composto pelas médias de proficiências em português e matemática extraídas da Prova Brasil, e pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) que ainda não foi divulgado.

Pela primeira vez, o MEC classificou os níveis de proficiência que estão organizados em uma escala de 0 a 9 - quanto menor o número, pior o resultado. Níveis de 0 a 3 são considerados insuficientes; entre 4 e 6 os alunos têm nível de conhecimento básico; e a partir de 7 até 9, adequado.

Etapa mais problemática da educação básica, o ensino médio foi classificado no nível 2 de proficiência. Em matemática, 71,67% dos alunos têm nível insuficiente de aprendizado. Desses, 23% estão no nível 0, o mais baixo da escala de proficiência. Em português, 70,88% dos dos alunos têm nível insuficiente de aprendizado, sendo que 23,9% estão no nível zero, o mais baixo.

Cláudia Santa Rosa publicou os slides que colocam o RN em situação bastante delicada quanto às disciplinas de Matemática e Português.

Se avaliada a série histórica do Saeb, é possível notar a estagnação do ensino médio. Houve pequeno incremento nas médias de proficiência em língua portuguesa desde 2009. Nesta edição do Saeb, a nota foi de 268 pontos, um ponto a mais do que o registrado em 2009. Em matemática, a proficiência do aluno potiguar é de 254 pontos e em Português, 247 pontos entre os 9o ano e o ensino médio. Se considerar os estudantes de quinta série a situação se agrava.

Em linhas gerais, do ponto de vista pedagógico, os números do ensino médio significam que:
em português - a maioria dos estudantes brasileiros não consegue localizar informações explícitas em artigos de opinião ou em resumos, por exemplo.

Mm matemática - a maioria dos estudantes não é capaz de resolver problemas com operações fundamentais com números naturais ou reconhecer o gráfico de função a partir de valores fornecidos em um texto.

Estas habilidades fazem parte das matrizes de referência do MEC e são esperadas em estudantes classificados em níveis proficiência superiores ao insuficiente.

Com informações do G1 e Portal Mossoró Hoje

   

Nenhum comentário:

Postar um comentário