quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Estudantes da UFRN criam drone para garantir segurança de mulheres que circulam no campus


Não é novidade para os brasileiros que a segurança pública enfrenta atualmente um problema a nível nacional, fato que também se reflete dentro dos campi universitários. Neste contexto, as principais vítimas são as mulheres.

De acordo com uma pesquisa realizada em 2015 pelo Instituto Avon, com 1.823 estudantes das cinco regiões do país, 67% das mulheres já sofreram algum tipo de violência no ambiente universitário.


Motivadas pela necessidade de propor ideias para o combate e a prevenção da violência nas universidades, estudantes do curso de bacharelado em Design, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), desenvolveram um projeto de protótipos de aeronaves para acompanhar mulheres que circulam no campus universitário.

A ideia é que a pessoa baixe um aplicativo e quando ela sentir a necessidade de recorrer a aeronave, acioná-la. “O drone viria até a localização dela e a acompanharia no seu trajeto. A ideia é que também tenha uma central de controle monitorando essas imagens”, explica Gabriela Flor, estudante do curso de Design.

O nome do projeto é Aedes, sigla para Aeronave de Defesa Social. O projeto foi desenvolvido durante um semestre por 36 estudantes da disciplina Projeto de Produto V, cujo tema é Design Aeroespacial. Divididos em equipes, eles desenvolveram 10 protótipos de aeronaves.

Premiações
     
O projeto de Aeronave de Defesa Social (Aedes) foi premiado no VIII Fórum de Pesquisa e Inovação da Barreira do Inferno, que aconteceu de 15 a 19 de outubro, como melhor trabalho de inovação aeroespacial.

O protótipo Manta Ray foi selecionado para ser apresentado no 13º Congresso Pesquisa e Desenvolvimento em Design, evento mais relevante da área no país, que acontece de 5 a 8 de novembro, na cidade de Curitiba. social. Para este ano, a meta é treinar 10 jovens entre alunos universitários e do ensino médio.



Nenhum comentário:

Postar um comentário