terça-feira, 18 de dezembro de 2018

Cortejados por Bolsonaro, Trump e vice não virão a Brasília para posse


O presidente americano, Donald Trump, será representado por seu secretário de Estado, Mike Pompeo, na cerimônia de posse de Jair Bolsonaro (PSL), em 1º de janeiro.

O anúncio foi feito na noite de segunda-feira (17) pela Casa Branca.

Além de Pompeo, estarão no evento Mark Green, diretor da agência americana para o desenvolvimento internacional, William Popp, encarregado de Assuntos Comerciais na embaixada dos Estados Unidos em Brasília, e Mauricio Claver-Carone, assistente especial para o presidente e responsável por América Latina no Conselho de Segurança Nacional.


Pompeo e a delegação americana se juntam a outros nomes já confirmados, como o premiê israelense Binyamin Netanyahu, o presidente chileno Sebastián Piñera e o líder boliviano Evo Morales.

Morales também confirmou nesta segunda-feira que participará da cerimônia.“Fomos convidados e estamos comunicando que vamos participar” da posse do presidente, afirmou Diego Pary, ministro de Relações Exteriores boliviano.

Na segunda posse da presidente Dilma Rousseff, em 2015, o então presidente americano, Barack Obama, enviou o vice-presidente Joe Biden para participar do evento. Quatro anos antes, Obama havia mandado a então secretária de Estado americana, Hillary Clinton.

A presença do presidente argentino Mauricio Macri também não está confirmada na posse de Bolsonaro. O chanceler argentino, Jorge Faurie, confirmou apenas a visita do presidente argentino a Brasília em 16 de janeiro quando falou a jornalistas durante reunião de cúpula de ministros do Mercosul em Montevidéu, na segunda-feira(17).

Folha de São Paulo


Nenhum comentário:

Postar um comentário