Sicredi


Nos primeiros dias deste ano, a Petrobras anunciou redução do preço dos combustíveis nas refinarias, fato que gerou bastante expectativa da população sobre a redução do preço dos combustíveis, em especial da gasolina, nos postos. Em algumas cidades, a redução dos combustíveis aconteceu, mas em outras, como Mossoró, a realidade é outra.

Com o litro de gasolina custando aproximadamente R$ 4,50, Mossoró tem um dos combustíveis mais caros do estado. Em cidades como Natal, Santa Maria e Riachuelo, o litro da gasolina está sendo vendido a R$ 4,00, em média. A não redução do preço do produto está revoltando muitos mossoroenses, que fazem relatos nas redes sociais e suspeitam de um preço tabelado na cidade.


Para averiguar essa situação, foi criada a Frente Popular Potiguar, com o intuito de fiscalizar os preços dos combustíveis. A Frente tem a intenção de sair do âmbito das redes sociais e colocar em prática todo o descontentamento dos consumidores de Mossoró acerca do preço dos combustíveis, em especial da gasolina.

A Frente Popular foi composta, inicialmente, por cinco amigos, que não aguentavam mais conviver com a situação do preço dos combustíveis em Mossoró e que estavam cansados de discutir o assunto apenas em redes sociais. A princípio, formavam a Frente Popular Potiguar Victor Morais, Pedro Lúcio Góis e Silva, Renan Nogueira Costa, Allan Borges Bessa e Angelo Júnior. Com a idealização da ideia, mais pessoas estão aderindo ao projeto.

“A ideia partiu de um grupo de amigos, que sempre reclamava nas redes sociais e que dizia motivos que podem estar levando a isso. Fazem parte dessa Frente pessoas com círculo de amizade em comum e que têm conexão com vários segmentos da sociedade (servidores públicos, advogados, professores). Pessoas empreendedoras que são afetadas diretamente com o custo alto do combustível em Mossoró. Gente que trabalha com fruticultura, que vem de Baraúna e do Vale do Açu e sente a diferença do preço do combustível”, disse o servidor público Victor Morais.

O servidor público explica que o preço alto da gasolina em Mossoró pesa no bolso de empresários, comerciantes e consumidores em geral. Argumenta ainda que existe uma discrepância no preço do combustível que é vendido em Mossoró e em outras cidades do estado. “A gente vê que em Lajes, a gasolina é R$ 3,97, em Santa Maria é R$ 3,95. Em Severiano Melo, que fica mais próximo de Mossoró, a gasolina está custando R$ 4,07. Têm cidades no raio de, no máximo, 80 km que têm diferença de R$ 0,30 no litro da gasolina”, argumenta.

Victor Morais informou ainda que a primeira ação da Frente Popular será ir ao Procon estadual apresentar um ofício, questionando a margem de lucro dos postos de combustíveis, o preço exorbitante que está sendo cobrado ao consumidor, fazendo uma comparação com as cidades próximas a Mossoró.

Além disso, a Frente também vai fazer um levantamento, comparando o preço nas refinarias e nas bombas de combustíveis de Mossoró, fazendo um histórico do valor que era cobrado pelo combustível antes do aumento considerável do produto. “Temos uma planilha comparativa de preço da refinaria antes do aumento considerável do litro da gasolina, há cerca de um ano e meio, comparando com o preço na bomba. Em suma, temos o preço da distribuidora e da bomba de combustível em Mossoró”.

“Vamos fazer esse comparativo para verificar a justificativa e também questionar a margem de lucro dos postos. Alguns postos têm a margem de lucro de R$ 0,5 a R$ 0,10 por litro de combustível, mas aqui em Mossoró estamos vendo que é muito mais do que isso. Temos na região um litro de gasolina que custa de R$ 4,05 até R$ 4,15. Já em Mossoró, nós temos um litro com no mínimo R$ 0,30 a mais”, explica.

O servidor público levanta ainda a questão de Mossoró ser próxima a uma refinaria de combustível (localizada em Guamaré – 172 km de Mossoró) e ter combustível mais caro do que cidades que ficam mais distantes da refinaria. Ele fala ainda sobre a realização de um ato que vai reunir empresária e pequenos empreendedores da cidade, para chamar a atenção desse possível tabelamento de preço dos combustíveis na cidade.

“Mossoró é muito próxima da refinaria. Outras cidades mais afastadas têm o litro de gasolina mais barato. A Frente Popular veio para questionar isso e, se preciso, judicializar alguma demanda. Estamos ainda com um planejamento para realizar um ato que vai juntar pequenos empresários, pequenos empreendedores que sentem o peso maior desse combustível mais caro”, finaliza.

Por Amina Costa do Jornal De Fato 


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem