sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

MP holandês investiga esquema que exportou mais de dez toneladas de cocaína pelo Porto de Natal



O Ministério Público da Holanda está investigando o esquema de tráfico de drogas que tem utilizado o Porto de Natal para exportar cocaína em contêineres de frutas.

Nos últimos dias, um oficial do porto de Roterdã foi preso sob suspeita de facilitar a entrada da droga no país europeu. O Ministério Público holandês afirmou que ainda não dará informações sobre a investigação. “Ainda estamos trabalhando muito nesse assunto. Novas prisões não podem ser descartadas”, disse uma porta-voz à imprensa local.

Em quatro meses, mais de dez toneladas de cocaína foram exportadas clandestinamente para a Holanda através do Porto de Natal. O dado foi divulgado recentemente pela Receita Federal.


Nesta semana, a polícia holandesa apreendeu 2,4 toneladas do pó no Porto de Roterdã; foi a quarta vez, desde outubro de 2018, que as drogas foram descobertas escondidas em contêineres de frutas que partiam de Natal, totalizando, desde então, cerca de sete toneladas flagradas.

Somando-se este total às 3,3 toneladas da drogas que foram descobertas no Porto de Natal na última semana, o valor passa das dez toneladas.

De acordo com a Polícia Federal, a cocaína que chega ao Rio Grande do Norte para depois ser consumida na Europa é produzida na Colômbia, Peru e Bolívia.

A operadora francesa CMA CGM, responsável pelas exportações de frutas potiguares para a Europa, suspendeu suas atividades na capital. Com uma remessa de 400 contêineres prevista para março, a empresa deve utilizar o Porto de Mucuripe, em Fortaleza, no Ceará, para exportar os produtos.

Agora RN





Nenhum comentário:

Postar um comentário