BANNER 1


A 3ª Promotoria de Justiça de Mossoró direcionou uma recomendação ao Município e firmou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com uma proprietária de dois terrenos, ambos com uma mesma finalidade: defender o meio ambiente. A unidade do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) levou em consideração a falta de educação ambiental na comunidade em relação ao descarte inapropriado de lixo.

No documento voltado ao Município, o MPRN recomendou a promoção de ações educativas, através das escolas, TVs e rádios locais. O objetivo é conscientizar a população sobre as consequências do depósito irregular de lixo para o meio ambiente, expondo o impacto que essa atitude pode trazer para todos na localidade.


A recomendação também orienta a adoção de providências para sanar os problemas relacionados em específico à disposição irregular de resíduos às margens das vias públicas do loteamento Dona Luquinha, promovendo as ações de fiscalização pertinentes.

Já o TAC foi firmado para que a proprietária do campo de futebol e de um terreno localizado por trás da pista do aeroporto, ambos no bairro de Belo Horizonte, promova a limpeza da área utilizada como depósito de lixo. A compromissária assumiu a obrigação de remover os resíduos para o aterro sanitário municipal, como também colocar placa alertando para a proibição do descarte de lixo no local – utilizado por diversos vizinhos para essa finalidade.

Outra medida assumida será providenciar uma cerca ou um muro na frente do terreno situado na Avenida Alberto Maranhão, para evitar que a população coloque lixo ou entulho. Os dois terrenos deverão ser mantidos limpos, sem a presença de mato e entulho. Para tanto, foram ajustadas manutenções com periodicidade trimestral, salvo no período chuvoso, quando terá que ser feita mensalmente.

Leia dos dois documentos na íntegra, clicando AQUI.


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem