Cacim


Apesar de raro e representar 2% do total de cânceres diagnosticados, o câncer ósseo incide, principalmente, em crianças e adolescentes, possuindo um alto índice de mortalidade. O reconhecimento precoce, a partir dos primeiros sinais relatados pelo paciente, é a melhor forma de prevenir a doença e garantir qualidade de vida e até a cura.

‘‘O câncer ósseo acomete qualquer parte do osso, na maioria dos casos em braços, coluna, coxa e bacia. Esse acometimento pode ocorrer diretamente no osso, chamado de tumor ósseo primário. No segundo tipo, o secundário, é um câncer que está no osso, mas veio especialmente da mama, pulmão e próstata, ou seja, ocorreu o desenvolvimento do tumor em outros órgãos, e em seguida espalhou-se para os ossos’’, explica o oncologista do Hapvida, Rodrigo Jerônimo.

Para o ex-paciente, Antônio Queiroz, o dia 21 de julho se tornou ainda mais especial, porque além de comemorar o aniversário dele, a data marca também a cura do câncer, descoberto em meados de 2015. ‘‘Eu comecei sentindo fortes dores na região do ílio, um osso localizado no quadril. Achei que era dor muscular pelo fato das atividades físicas. Mas, não’’, disse o empresário.

Embora a doença tenha sido descoberta tarde, Antônio conseguiu fazer o tratamento e hoje ressalta a importância de se estar atento aos sinais que o próprio corpo indica. ‘‘A dor é um aviso, então é essencial procurar um médico nesses momentos. A cura existe’’, enfatiza.

Segundo o oncologista o sinal vermelho que indica o câncer ósseo é justamente a dor e o inchaço, ele ressalta ainda que, assim como nos outros tipos de câncer, o diagnóstico precoce aumenta as chances de cura. ”A melhor prevenção é o exercício de atividade física e não ficar muito exposto ao sol. Mas, se houver algum sintoma de dor, sangue ou tosse que dure mais de 15 dias, é necessário atenção e a indicação é procurar um médico”, alerta o médico Rodrigo Jerônimo.


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem