BANNER 1


A perspectiva de reaquecimento da cadeia de petróleo e gás em Mossoró, com a futura exploração de campos maduros pela iniciativa privada, foi apresentada nesta quinta-feira (8) a empresários cariocas, na apresentação do Mossoró Oil & Gas Expo, que vai acontecer de 26 a 28 de novembro, em Mossoró.

O evento é uma iniciativa do Sebrae e Associação Redepetro RN, e foi apresentado na sede da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), em parceria com a Associação Nacional da Indústria do Petróleo (Onip).

O Mossoró Oil & Gas Expo foi lançado para empresários de petróleo e gás do Rio de Janeiro, lideranças do Governo Federal, Firjan, Associação Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP), Associação Brasileira dos Produtores Independentes de Petróleo e Gás (ABPIP), entre outros.

Divulgação

Presente ao lançamento, o presidente da Associação Redepetro RN, Gutemberg Dias, considera o momento extraordinário, pois coloca o Mossoró Oil & Gas Expo no radar de expoentes da cadeia petrolífera do Rio de Janeiro, gigante nacional em matéria de petróleo e gás.

“O evento foi muito concorrido, com presença forte de empresários cariocas, e extrapolou as expectativas da organização (Onip). Foi um gol de placa apresentar o Mossoró Oil & Gas Expo no Rio de Janeiro, e acredito que muita gente do Estado irá ao evento em Mossoró”, avalia Dias.

Apresentação na Firjan, segundo ele, também mostrou cenário promissor no Rio Grande do Norte, a partir do novo modelo de investimento na indústria de petróleo potiguar, com a aquisição de 34 campos maduros pela Potiguar E&P, que prevê investir R$ 600 milhões nos próximos cinco anos.

Protagonismo

Também participante, o secretário nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis, Márcio Felix, confirmou apresentação do Plano de Ação Consolidado do programa de Revitalização da Atividade de Exploração e Produção de Petróleo Terrestre (REATE) no Mossoró Oil & Gas Expo.

Felix também informou que o evento está na agenda do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, cuja pasta conduz o projeto “2020 – O ano da virada do onshore (em terra)”, que planifica Plano de Ação do REATE, com apoio da Associação Redepetro RN e de outros parceiros.


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem