BANNER 1


Em seu discurso, na sessão da Câmara Municipal de Mossoró na terça-feira (13), o vereador Genilson Alves (PMN) se posicionou contra a licitação de R$ 24,5 milhões para contratação de mão de obra terceirizada (597 cargos) por 12 meses pela Prefeitura de Mossoró, conforme divulgado na mídia local. O parlamentar justifica haver necessidades mais urgentes em Mossoró.

“Não sou contra geração de emprego e renda. Muito pelo contrário. Mas, a via mais adequada para contratação é o concurso público. Além disso, esses valores milionários poderiam ser usados para contratação de médicos e compra de insumos para unidades de saúde”, comenta Genilson Alves.

O vereador disse que os médicos poderiam suprir o déficit desses profissionais em 23 equipes da Estratégia Saúde da Família, em razão de que, segundo ele, quase 100 mil pessoas estão desassistidas.

“A população não acha justo fazer contrato temporário, às vésperas da eleição de 2020, com a cidade faltando médico, UBS fechada, terceirizados sem pagamento. Há o receio que a Prefeitura de Mossoró esteja prospectando exército para a campanha do próximo ano”, conclui.


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem