BANNER 1



Com a chegada de mais 30 bombeiros de Natal, já são mais de 100 pessoas combatendo as chamas que queimam a vegetação nativa da Serra de Patu, inclusive ameaçando seriamente o Santuário de Nossa Senhora dos Impossíveis, desde à tarde de segunda-feira, 16.

O comandante regional do Corpo de Bombeiros, Neves Monteiro assegurou que os principais focos de incêndio foram controlados, mas que ainda existe preocupação devido a área de vegetação nativa seca e principalmente o vento forte que espalha as fagulhas.

Ainda conforme o comandante, as chamas que se aproximavam do Santuário de Santa Nossa Senhora dos Impossíveis foram controladas.

A Assessoria do Corpo de Bombeiros informou que o trabalho aconteceu durante toda a madrugada de quarta-feira (18). Bombeiros são cerca de 50, que contam com a valiosa contribuição de mais de 60 voluntários da região no combate ao incêndio.

“Isso é o nosso maior ponto turístico. Não podemos deixar queimar. Estamos ajudando o santuário e todo o meio ambiente. Vamos ajudar até o fim", disse Francisco de Assis, voluntário.

Enquanto e homens e mulheres trabalham na mata noite e dia, um grupo de voluntários organizam as doações de alimentos e preparam as refeições de almoço, janta e café da manhã.

Já Ivanilse Araújo, é voluntária na cozinha. Ela chega cedo, recebe os alimentos doados e prepara a comida que será servida aos bombeiros e voluntários. "É um prazer estar ajudando. Todos precisam de unir nesse momento e ajudar", disse.

Os voluntários são orientados e instruídos pelos militares. "A ajuda deles é fundamental. Desde o início eles estão colaborando com coragem", disse o capitão, Neves Monteiro.

Segundo o capitão Neves Monteiro, as chamas na Serra aumentam com o vento e o mato alto e seco ajuda na queima. Havia risco das chamas atingirem o Santuário do Lima, mas foram neutralizadas. "Assim que o reforço chegou dividimos vários grupos de combatentes e conseguimos neutralizar vários focos do fogo na madrugada", disse o oficial.

Ainda segundo ele, a maior dificuldade está no acesso aos locais de fogo. "As viaturas não chegam próximo do fogo e necessitamos voltar para abastecer as bolsas com água. Isso deixa o trabalho mais lento", acrescentou.

A operação conta também com o auxílio de outros os órgãos públicos de segurança estadual e municipal, como Defesa Civil e da Polícia Militar.

O reforço foi pedido a partir da conversa do vereador João Gentil, de Mossoró, que é ambientalista, ao senador Jean Paul Prates, que de imediato se articulou em Natal junto ao Governo do Estado e comando Geral do Corpo de Bombeiros para enviar reforços a região.

Mossoró Hoje


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem