BANNER 1



O presidente Jair Bolsonaro (PSL) publicou na segunda-feira (28) um trecho de um vídeo, sugerindo que é um leão atacado por hienas do PT, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), da Organização das Nações Unidas (ONU) e do Supremo Tribunal Federal (STF).

Além dos quatro, também aparecem como hienas o feminismo, a Globo, o Movimento Brasil Livre, a lei Rouanet, a força sindical, o isentão, o PCdoB, o PSDB, a Força Sindical, o PDT, a Folha de São Paulo, a revisa Veja, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o Estadão, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), o Psol e a Central Única dos Trabalhadores (CUT) .

Horas depois de publicado, o militar da reserva apagou a publicação no Twitter.

Na gravação, Bolsonaro é salvo por outro leão, que recebeu o nome de Conservador Patriota. No momento do salvamento, uma mensagem de apoio ao presidente aparece no vídeo. "Vamos apoiar o presidente até o fim! E não atacá-lo! Já tem a oposição para fazer isso!", afirma.

Por fim, a cena na savana é substituída por uma imagem da bandeira do Brasil com o presidente.

Repercussão

O decano do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Celso de Mello, reagiu de form enérgica ao vídeo divulgado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) no Twitter. O Ministro disse que o material demonstra a falta de uma "estatura presidencial".

“Esse comportamento revelado no vídeo em questão, além de caracterizar absoluta falta de 'gravitas' e de apropriada estatura presidencial, também constitui a expressão odiosa (e profundamente lamentável) de quem desconhece o dogma da separação de poderes e, o que é mais grave, de quem teme um Poder Judiciário independente e consciente de que ninguém, nem mesmo o Presidente da República, está acima da autoridade da Constituição e das leis da República”, afirmou o decano, em nota à Folha de S.Paulo.


De acordo com o decano, a comparação do STF com uma hiena "culmina, de modo absurdo e grosseiro, por falsamente identificar a Suprema Corte como um de seus opositores". Ele também afirma que o Brasil não é "uma selva" na qual o Leão impera com poderes absolutos e ilimitados.

Com informações do Portal Congresso em Foco


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem