BANNER 1


O deputado Coronel Tadeu (PSL-SP) destruiu na 3ª feira (19.nov.2019) parte de uma exposição sobre racismo fixada em 1 corredor da Câmara. A obra destruída pelo deputado associa a polícia ao genocídio de negros. O ato foi filmado por outros congressistas, que repreenderam o pesselista, num princípio de confusão.

No espaço, que é voltado para receber conteúdos culturais, havia uma placa que retratava o genocídio à população negra e mostrava 1 policial de costas, com arma em punho, afastando-se do corpo de 1 negro vestido com a bandeira do Brasil. A obra é de autoria do cartunista Carlos Henrique Latuff de Sousa.

Ao se depararem com a depredação, deputados da oposição se revoltaram e prometem ir ao Conselho de Ética da Casa contra o Coronel Tadeu. “Não vamos nos calar, a placa vai ser reposta e o deputado será punido”, disparou Talíria Petrone (Psol-RJ).

Em sua defesa, o político disse que a apresentação da exposição tem seu apoio, mas que o cartaz ofende aos “600 mil policiais do Brasil inteiro que trabalham 24 horas por dia para defender a sociedade independentemente de cor e raça”.

Via Twitter, a deputada Jandira Feghali (PC do B-RJ) afirmou que a destruição da placa mostra “o reforço da necropolítica, do ethos fascismo, do racismo institucional”.

A deputada Benedita da Silva (PT-RJ) disse se tratar de crime de racismo. “Não podemos ser tratados como deputados de segunda categoria nessa Casa”.

O deputado Santini (PTB-RS) criticou a atitude, mas disse que a exposição não retrata com veracidade os policiais. “Me chocou ver o cartaz colocando claramente a visão de 1 policial como assassino de uma pessoa negra. Policial não é assassino de negro, onde está escrito isso?”, disse. O político ainda sugeriu que o artista fosse processado pela charge reproduzida na tela.

O deputado Coronel Chrisostomo (PSL-RO) também defendeu a atitude. “Mostrou que defende a polícia, continue assim”, disse.

Congressista sugeriu retirada do painel

O deputado Capitão Augusto (PL-SP) divulgou 1 comunicado enviado ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), em que ele pedia a retirada do painel da exposição no corredor da Casa legislativa.

Segundo ele, há por meio da exposição uma “inoportuna manifestação de desonra e generalização de ilegalidade na atuação dos policiais”.

“Há a absurda atribuição da responsabilidade pelo genocídio da população negra aos policiais militares, prestando-se, assim, verdadeiro desserviço junto à população que trafega pelas dependências da Câmara”, escreveu o político.

Poder 360


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem