BANNER 1


A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte realizou na segunda-feira (18) audiência pública para debater as zoonoses e a omissão do poder público com cães e gatos.

A discussão, proposição do deputado estadual Allyson Bezerra (Solidariedade), aconteceu pela manhã no auditório do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFRN), em Mossoró, e contou com a presença de diversos representantes da causa animal da cidade.

Allyson sugeriu a reativação do Centro de Zoonoses de Mossoró e pleno funcionamento, bem como políticas públicas por parte da Prefeitura Municipal para resolução da problemática.

“Essa audiência pública é motivada também por um compromisso nosso assumido durante a campanha. Uma dessas propostas apresentadas na campanha foi buscar união do governo estadual, prefeitura e outros setores para defesa da causa animal", esclareceu.

"Ficou clara a omissão do poder público municipal, que detém a maioria das competências para resolver os problemas. Nós vamos a partir de então fazer um trabalho perene cobrando a reativação do Centro de Zoonoses de Mossoró, carro fumacê e a estrutura de uma política pública para castração animal, que é  a principal medida a ser defendida", disse.

"O grande problema, pelo o que constatamos nesse debate, é que a gestão pública não tem empatia com os temas e não trabalha com outros segmentos da própria sociedade, para cuidar com eficiência de questões antigas, que têm ganhado notoriedade devida a participação popular e isso é importante. Está faltando vontade para resolver os problemas!”, comentou.

Representando o Movimento Mossoroense de Proteção Animal, Jéssica Bessa falou da necessidade do poder público enxergar a causa animal como importante.

“Precisamos do olhar do poder público, é interessante que se dê mais atenção, é uma questão de saúde pública. A gente precisa se conscientizar que o animal na rua é uma vítima como nós [...] O Centro de Zoonoses foi desativado, não podemos contar com o mesmo, a verdade é essa. Hoje funciona só administrativamente porque eles não têm estrutura para realizar campanha de castração ou conscientização, está deixando a desejar, tanto as pessoas como o poder público”, afirmou Jéssica Bessa.

Josivan Barbosa, professor e ex-reitor da Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA), também opinou sobre o assunto.

“Cada instituição pública deve pensar: o que eu posso fazer para minimizar esse problema? Com a parceria com outras instituições, já que nós temos as pessoas que sabem fazer, a competência humana é a mais difícil e já temos, podemos fazer muito sobre essa questão do abandono de animais. Uma audiência dessa natureza traz uma alerta para esses gestores, para assumir esse compromisso. Parabenizo o deputado pelo tema e parabenizo sua ação por não concentrar sua atuação em Natal”, explicou.

Pablo Aires, protetor animal reconhecido na cidade, trouxe à tona um caso recente de violência animal no município. Um cachorro, apelidado de “Amarelão”, foi encontrado morto com veneno e cacos de vidros dentro da Ufersa. A autópsia atestou a causa da morte. O jovem pede atenção do poder público para o caso.

Allyson Bezerra informou que enviará documento à UFERSA solicitando que se pronuncie sobre o caso do “Amarelão”. Também notificará a Prefeitura de Mossoró e Câmara Municipal sobre medidas que venham a beneficiar a causa animal na cidade.

Também participaram da audiência Graça Lima, representante do Abrigo Mossoró; Daniele Bispo, Doutora em Políticas Públicas para Animais; Clara Coelho, representante do Adote Mossoró.




Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem