BANNER 1


O Hospital Wilson Rosado retoma o atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS) nesta sexta-feira, 1º de novembro, depois do acordo firmado com Estado e Município para pagamento da dívida acumulada. A prestação de serviço havia sido suspensa na segunda-feira, 28, afetando pacientes de Mossoró e de mais de 60 municípios das regiões do Médio/Alto Oeste, Costa Branca e Vale do Açu. (Clique AQUI e leia a matéria)

Foram três dias de reunião entre representantes das secretarias de Saúde de Mossoró e do Estado e do Hospital Wilson Rosado. O acordo foi fechado na tarde desta quinta-feira, 31, faltando agora ser homologado na Justiça, o que deverá ocorrer nos próximos dias. Mas a direção do Wilson Rosado garante que 100% dos serviços serão retomados nesta sexta-feira.

De acordo com a negociação, Estado e Município vão quitar os pagamentos atrasados em 33 parcelas, de acordo com o fluxo financeiro da gestão pública. A produção mensal, a partir de agora, serão quitadas dentro do mês. Em nota, a Secretaria de Saúde Pública do Estado (SESAP-RN) afirmou que apesar das dificuldades financeiras, o compromisso com as parcerias que auxiliam e garantem a assistência à população.

Na mesa de negociação, a secretária de Saúde do município de Mossoró, Maria Saudade Azevedo, afirmou que o município tem esforçado para honrar os compromissos, apesar da crise financeira. Saudade apresentou uma prestação de contas para comprovar que a Prefeitura tem feitos pagamentos conforme o fluxo financeiro.

O atraso de pagamento dos serviços prestados pelo Hospital Wilson Rosado chegou a 19 meses (município) e 16 meses (estado), por isso, a direção decidiu suspender o atendimento. O diretor-presidente do Wilson Rosado, médico cardiologista Bernardo Rosado, admitiu que a decisão de suspender o atendimento foi muito ruim para quem depende do SUS, porém ressaltou que o hospital não tinha mais condições de ficar bancando as despesas. Ele disse que a situação se tornou insustentável.

“Tivemos que parar por questão de insolvência. Nós temos que custear os serviços, pagar os médicos que não aceitam receber pela tabela SUS. Temos que honrar do próprio bolso esses profissionais. Isso tem nos levado à situação de penúria financeira”, afirmou Bernardo.

Durante quatro dias, de segunda-feira para ontem, o Wilson Rosado deixou de atender pacientes com cirurgias gerais, ortopédicas, cardíacas, cateterismo e angioplastia eletivas, além de serviços de UTI adulto e de exames.

Jornal De Fato


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem