BANNER 1


O IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15), considerado a prévia da inflação oficial, avançou 0,14% em novembro, na comparação com outubro. Esse é o menor resultado para o mês desde 1998, quando houve deflação (queda de preços) de 0,11%.

Os dados foram divulgados nesta 6ª feira (22.nov.2019) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Eis abaixo:


No acumulado, o IPCA-15 está em 2,83% no ano e 2,67% em 12 meses. A meta de inflação do governo é de 4,25%, com intervalo de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o índice pode ficar de 2,75% a 5,75%.

As projeções do mercado financeiro, divulgadas no relatório Focus do Banco Central, mostram que a inflação oficial deve terminar 2019 em 3,33%.

Em novembro, 3 dos 9 grupos pesquisados pelo IBGE registraram deflação, com destaque para Habitação, que recuou 0,22% e foi responsável pelo recuo de 0,04 ponto percentual no IPCA-15.

O preço da energia elétrica caiu 1,51%. Houve redução média de 5,3% nas tarifas residenciais de uma das concessionárias de São Paulo, vigente desde 23 de outubro. Em Brasília e em Goiânia também houve barateamento, com quedas de 5,44% e 4,75%, respectivamente. O gás encanado recuou 0,10%, mas a taxa de água e esgoto subiu 0,31%.

Os Transportes apresentaram o maior percentual entre os grupos no índice do mês, com alta de 0,3% de 0,06 ponto percentual. A gasolina e o etanol aumentaram de 0,76% e 0,52% em outubro para 0,80% e 2,53% em novembro, respectivamente).

O grupo Alimentação e Bebidas apresentou ligeira alta de 0,06%, após três meses consecutivos de deflação.

Poder 360


Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem